MEDICINA DO PRAZER.












Conheci uma boa médica. Até pensei que fosse muito esparadrapo para o meu curativo. Conversa vai, conversa vem e já estávamos no seu apartamento.

Trocou o elegante jaleco de linho branco por uma sedutora lingerie preta. Um som, pouca luz e uma atmosfera propícia para uma demorada consulta sem estetoscópio !

Que corpanzil. Não era grande. Era perfeito! Oh, o amor é lindo! Este é o tipo de mulher que jamais se preocupa se os homens irão ou não propiciar-lhes generosas e demoradas carícias,ao contrário de muitas outras que, chegam a fazer até passeatas em vias públicas, levando multidões a Praça da Sé ou a Candelária em comícios feminista pró-preliminares.

Aquele mulherão sabe que ninguém irá poupar-lhe uma extenuante preliminar. Seria o mesmo que pescar sem anzol. Coloquei-me a seus pés com humildade e o menor vestígio de machismo. Exorcizei qualquer possibilidade de ejaculação precoce, mantendo a idéia fixa na imagem do Paulo Maluf, nu na cadeia, dizendo-se inocente.

No entanto, durante uma das minhas mais irretorquíveis performances e uma empolgação de deixar comissão de frente de escola de samba com inveja, ouço um sussurrar rouco e quente, que dizia:

- Explore mais meus corpúsculos de Meissener. Não entre em estado de detumescência. Coisa gostosa! Hoje não vou ter dispareunia. Como é lindo o seu membro. Nenhum vestígio de doença de Peyronie.

-Epa! O que está acontecendo?- Inquiri, abandonando o parque de diversões.

-Amor, não pare - ela insistia, lamuriosa.

-Já parei! - disse e fazendo aquele beicinho infalível de homem carente.



Olhamos demoradamente, um nos olhos do outro. Seu rosto era um misto de decepção e culpa. Lágrimas verteram do seu verde olhar. Sua beleza então se tornou mais exuberante e sofrida. Resolvi partir para o diálogo:

-Você falou sobre doença de Peyronie no meu membro?

-Desculpe, eu estraguei tudo;

-Eu tenho ou não, este troço no meu membro?

- Não. Eu disse que era lindo e não tinha nenhum vestígio;

-E porque você falou nisso, logo naquela hora?

- Em geral os homens apresentam sempre alguma nuance da doença de Peyronie no membro;

-Mas que diabo é isso? Se não tenho, porque precisava falar. É alguma tara?

-Uma besteira. Desculpe, meu provedor gostoso!

-Não,agora explica o que é isso.

-Depois. Vamos continuar...

-Não. Que doença que eu não tenho e você falou, gratuitamente?

-É a fibrose da membrana albugínea que reveste o corpo cavernoso, determinando uma curvatura do eixo do pênis.

-Curvatura do eixo do pênis?

-Amor, o pênis fica torto para um dos lados e meio curvado...

-Parece que bateu de frente? Fica com a carroceria fora do centro e andando de lado? (risos);

-Seu bobinho, é isso mesmo. Dá para quebrar o galho e até operar;

- Ainda bem. Dá para fazer uma lanternagem. E a tal da "detumetendo"?

-Não é detumetento (mais risos).

-Você falou no meu ouvido para que eu não entrasse em estado de detumetendo;

-Estado de detumescência! -corrigiu rápidamente.

-E daí? Eu tô no maior rala e rola, querendo nota dez na performance e de repente você enfia esta coisa no meu ouvido;

- Foi mal!

-Dá pra explicar?

- Detumescência e a redução da inchação dos corpos cavernosos, quando o pênis retorna à condição de flacidez.

-Amolece?
-É.


-Você notou que eu estava broxando?

-Não, pelo contrário...

-E porque falou?



-É por causa deste meu vício profissional, incorrigível de análise diagnóstica,amor.




-Escuta,minha gostosa, quando você tirar este jaleco, deve também tirar da cabeça estas coisas,e mostrar só seus melhores argumentos cientificos e anatômicos.



E depois, ainda falou daquele tal de corpúsculos...

-De Meissner?

-E eu com isso?

-Eu pedia que você explorasse bem meus corpúsculos de Meissner. São corpúsculos da pele responsáveis pela percepção do tato...

-Porque não pediu em português normal,tipo: amassa, morde,arregaça, vai fundo e me chamando de garanhão dominador?

-Pois é, estava tão gostoso, meu amor. Você realmente caprichava naquelas preliminares que nós adoramos. Aí estraguei tudo, com aquele palavreado que lhe assustou. Esquece.

-Ainda não. Você fala estes tsunamis no meu ouvido, agora explica, pois, soou como um soco na minha trompa de Eustáquio.

- Dispareunia é quando a mulher na hora do coito sente dor.

- Dor?

-É uma doença. Eu disse que não ia sentir dispareunia desta vez.

-Ainda bem, afinal nós viemos aqui para sentir prazer ou dispareunia?

-Pois é agora vamos voltar para aquelas maravilhosas preliminares que você estava me proporcionando seu desbravador. Só falta o ponto G!

-Tudo bem, mas lhe peço um favor doutora: Em homenagem a Hipócrates, fica só gemendo. Tá certo?

-Prometo!

18 comentários:

Lu Costa disse...

E dependendo do gemido sr. Paulo, já está pecando kkkkkkk abraçao

Lucia Regina disse...

Paulo,

heheheheh
Sensacional.

Um abraço

Lucia Regina

Leo Carioca disse...

rsrs
Bom, ouvir certas coisas na hora de transar é inevitavelmente broxante, né?
Embora muita gente pense o contrário, bom senso é fundamental na hora do sexo.
É um momento pra se soltar, evidentemente. Mas dentro de certos limites.

Fátima disse...

Essa hora e de outras falas..com certeza..rs. (Adorei o momento do Maluf..rs).

Paulo, vim desejar à você um Natal e Ano Novo maravilhosos.
Serenidade,saúde, amor e prosperidade não te falte no ano que logo se inicia.
Muita criatividade, humor sempre.

Beijo, receba um abraço

Cynthia Lopes disse...

E aí Paulo, depois rolou legal??? hehehehe...
Feliz Natal e um Ano Novo cheio de novas e boas aventuras criativas e hilárias pra gente se divertir muito como sempre!!
Saudações cariocas, querido
bjs

Magda disse...

Muito bom, Paulo!

claudete disse...

PAULO!!!! formidável a forma coloquial e irretocável de ao mesmo tempo que dar informações importantes ao leigo "alpinista" rs, rs, você transforma o texto numa leveza de humor imbatível! Amei! Feliz Ano Novo amigo e que sua verve continue em alta. Olha , acho dificil a Dra. esquecer o consultório, mas é possível...depende de você.
abração .

elly disse...

FELIZ ANO NOVO!!
tudo de bom pra vc e sua familia!
te convido para o sorteio de um Tablet
lá no meu blog,ok
bjinhos♥
www.coisasdeladdy.com

Psicologia no dia a dia disse...

kkkkkk e uma suposta tragédia nas mãos certas vira comédia. Se fosse eu mudando a figura/fundo claro, ligaria o fantástico mundo de Bob e pensaria:"Nossa, o trem que eu tenho é sério nunca ouvi falar nisso uai, não devo passar de amanhã.

Lua Negra disse...

Feliz Ano Novo!!!!!
Abraços de paz.
Lua.

sonia disse...

Bom dia,

A voce e toda família desejo um Ano Novo repleto de saude e paz.

beijos sonia.

Audrey Andrade disse...

Menino PAULO, passei para dar boas risadas, é claro! Mas também para desejar que seu 2012 seja mais que incrível. Desculpe-me pela ausência. Este ano não foi dos mais fáceis pra mim, mas o que de fato importa é que estou viva \o/!!

Meu anjo, um 2012 repleto de tudo que há de melhor neste mundo é o que eu te desejo!
Meu carinho!
http://pequenocaminho.blogspot.com

Cidinha/Marieci disse...

hahahahahahah Só fiquei aqui...imaginando voce: "mantendo a idéia fixa na imagem do Paulo Maluf, nu na cadeia, dizendo-se inocente."
Fala sério!!!! hahahahaha

Abraçooo Paulistano e com muita chuva!!!!
PS. Excelente 2012

Hi Girls disse...

Seguindo...

Hi Girls disse...

Carioca meeeeeu!
Super amei seu comentário, que nem foi extenso ne? kkkkk
Seja bem vindo meu primeiro e eterno seguidor!
Estaremos mesmo sempre juntos. E que meu sucesso seja como o seu, sem fronteiras!
Estou seguindo seu outros blog, que também é muito interessante!
Que todas as sua palavras se concretizem mesmo.
Muito obrigada por todo esse carinho.
Um beijo e abraço (demorado, rs) da sua eterna baiana! ")

Cidinha/Marieci disse...

Oi Paulo, preciso te contar um fato que aconteceu comigo ontem, imagine estava no metrô, de manhã indo trabalhar e encontro uma amiga, que quando olho pra ela, lembro de voce, pois é seu tipo ideal nas histórias, loirona, corpão, olhos verdes e por aí vai, e a doida começa a falar, que não aguenta mais, que ela é louca por sexo e o marido dela diz que ela não é normal.. imagina.. essa conversa no trem... Paulo.. silencio total... todo mundo ouvindo e eu lá... Bom aí ela me disse fui no médico e ele me disse que eu sou normal sim, que todos os homens gostam de mulher assim.. e eu lá só ouvindo, eu e o resto do vagão.. aí ela pára de falar me olha e diz: Amiga por favor me diz, o que eu faço? hahaha juro Paulo, vomitei as palavras pra ela e depois caí na gargalhada, olhei e disse " Ahhh pensa no Paulo Maluf"! hahahaha todo mundo que tava perto começou a rir inclusive ela.... hahahaha
Não precisa publicar essa história toda não.. só queria te contar mesmo!!
Abraçooo Paulistano

Amora Lys disse...

Caro Paulo

Obrigada por seguir meu blog e também pelos comentários. Seus blos também são inteligentes e hilários.Parabéns.Abraços

Ana Lucia Cruz disse...

KKKKKKKKKKKKK!!!!! Muito bommmmmmm!!! Adorei! ;D