DADINHA!

Era uma mulher sensualíssima e desde sua juventude muito assediada por verdadeiras hordas intermináveis de homens que lhe dedicavam suas atenções. Dadinha parecia peixe raro para pescadores, pedra preciosa para os mineradores da beleza feminina, o néctar das flores do beija-flor, ávido por encontrar novos sabores e poder sugá-los.








E Dadinha, era muito sensual. Hoje uma mulher de pouco mais do que cinqüenta anos, exibia uns seios naturais, um exatamente ao lado do outro, e sempre acesos com seus mágicos faróis iluminando toda a sua estrada e enlouquecendo os transeuntes atentos aos detalhes da magia feminina. Aliás, Dadinha gostava que todos vissem que eles estavam sempre acesos como aqueles faróis tão necessários naquelas ilhas à noite indicando aos navegadores dos mares revoltos deste mundo em constantes perigos, os melhores e mais seguros caminhos neste imenso mar do amor e erotismo feminino.



E para facilitar a navegação erótica dos pretendentes, não usava sutiã e sim, blusas de tecido muito fino,e que tornava ainda mais explícitos os contornos dos seus belíssimos seios .





Uma alegria geral.


O corpo de Dadinha comovia pela exposição de tão marcantes e perfeitas curvas e levava às lágrimas todos aqueles que não podiam cavalgar naquele majestoso dorso ou desfrutar daquele acolhedor oásis de prazer que eram suas ancas lindíssimas a sustentarem um abdome absolutamente, irresistível.





Dadinha era para os homens ,como diriam os antigos - um colírio para os olhos - e assim gostava de se sentir e os homens muito mais ainda , de senti-la desta forma.


Ou seja, todo mundo sentia, como se estivessem indo para o paraíso!





Muito evoluída espiritualmente também, Dadinha sabia que era dando que se recebia, e o fez desta forma para cada um dos seus homens eleitos e que conseguiam furar o bloqueio da sua defesa, assim como a cada um dos seus quatro ex-maridos com os quais Dadinha teve um filho de cada um deles e todas meninas lindas como a mãe.


Era convidada para ir ao cinema por cem por cento dos seus namorados e diariamente, numa época em que era no escurinho do cinema que, se desenrolava ao vivo, as mais intensas demonstrações de carinho, amor e afeto com muita pipoca o que tornava muito mais prazeroso o filme - sem nenhum trocadilho ou duplo sentido, por favor.





E sexo era também, preferencialmente,praticado em carros a beira do mar, em muros de ruas escuras,escadas de edifícios invadidos pela volúpia dos prazeres, pois os motéis seriam comodidades só para as futuras gerações.


Dadinha era uma usina de procriar, orgulhava-se de ser uma mulher parideira e teve quatro filhas de parto natural e as amamentou até aos dois anos! Talvez aí estivesse o segredo da beleza do seu corpo .





Dadinha sempre falava que mulher deve parir por onde foi fecundada e não por cirurgias que tirassem do parto a sensação e as emoções da mulher que entre uma respiração e outra , sentia o latejar do filho que já estava a caminho e que, o leite materno, não tinha competidor no mercado das prateleiras dos supermercados.


As filhas de Dadinha foram crescendo e tornando-se tão lindas e de corpos tão perfeitos quanto à mãe, agora uma cinquentona, mais absolutamente com tudo em cima, e um belo exemplo de que, mulher não tem idade e sim, disposição!






Suas filhas começavam a sentir que apesar de novas e no auge das suas juventudes , e apesar de serem muito bonitas, não conseguiam competir com a mãe , pois os homens continuavam a enlouquecerem com sua beleza.





Notava-se até certo ciúme delas em relação a este fato. É polêmico, mas alguns chegavam a afirmar que era inveja mesmo. Mas, será que a filhas nutrem este sentimento tão condenável , pelas suas próprias mães?





Eu não acredito, no entanto não sou mãe , nem filha, portanto...


Na ocasião em que um cantor gravou uma música na qual dizia que :”panela velha é que faz comida boa”, Dadinha ganhou dezenas de cds’e dvd’s desta música dos seus admiradores que, sem saberem que estavam sendo repetitivos na criatividade e no presente, entupiram a casa de Dadinha destes sugestivos afagos.


E sempre no dia do seu aniversário, no Dia das Mães , no Natal, no Dia Internacional da Mulher e em dias especiais que Dadinha prefere não comentar.



As dedicatórias eram as mais entusiásticas como as de duplo sentido, como esta que dizia:


-“Dadinha quero entrar de cabeça em você” – expressão enigmática, sem dúvida!


Ela escreveu um livro que será naturalmente um absoluto Best Sellers é o titulo é: “Não foi surfando, que dei o melhor de mim”.


A primeira frase do livro é antológica, na qual ela confessa que:


-“Nunca fui Bruna Surfistinha, porém continuo a dar muito, e a receber muito mais em amor, carinho, afeto e amizades, ou seja sou a versão bíblica de que é dando que se recebe, mas sem fins lucrativos, pois reconheço que entre um homem e uma mulher a mutua doação nos torna maiores, mais humanos e mais felizes.


Gosto de ser assim”.


Nossa minha gente, chorei muito de emoção nesta parte tão singela e autentica deste depoimento e, principalmente de raiva, por não tê-la conhecido.


Imperdoável, desencontro!

38 comentários:

Quem além de mim? disse...

Sem dúvida, vc tem mto o que chorar msm.(Rsrsrsrs)

"É dando que se recebe!"

O seu texto tb sera um verdadeiro "best sellers"!

Adoreeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiii!

Beijos

Fanzine Episódio Cultural disse...

COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
O Fanzine Episódio Cultural é um jornal bimestral sem fins lucrativos, distribuído gratuitamente no sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Salvador-BA e Rio de Janeiro. Para participar basta enviar um artigo sobre esporte, moda, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, livros, curiosidades, folclore, saúde, Teatro, cinema, revistas, fanzines, música, fotografia, mini contos, poemas, etc.
Contato: Carlos (editor)
(35) 3295-6106
(35) 8833-9255
machadocultural@gmail.com

http://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
Contatos:

Tania regina Contreiras disse...

Essa Dadinha é figuraça! Danadinha a Dadinha...:-)
Bjs

hesseherre disse...

Paulo, é dando que se recebe......?
V. já foi iniciado nesta cerimônia do "adeus às", sob um lindi arco-íris? Saudades dos teus comentários lá em Casa.
Muito bom este post, muito ginecológicosensual.
Grande abraço PSD

Magda disse...

ótiiiiimooooo!!!

sens-autre disse...

Oi, "tamburro", obrigada por seguir meu blog. Adorei conhecer o seu. Uma amiga e eu rimos muito aqui, ao ler o texto da Dadinha. rs. Beijos!

Beatriz Gredilha disse...

Olá, Paulo. Adorei o texto!! Humor (sob qualquer forma) é sempre inspiração para seguir em frente.. Saindo do óbvio, então, causa efeito melhor ainda.

Obrigada pelos elogios lá no justgred.blogspot.. Acabei de criar. Volte sempre!!

Abs.

Biiah Santos disse...

desculpa n ter entrado no seu blog e obrigada por ter seguido o meu.
aa vou ver se faço outro video tentando por minha voz sobresaindo.
e seu blog ta trifodastico ;)
abço
by: caveirinha

Vitor disse...

Pô, essa aí eu queria conhecer!

Abração!

Fernanda P. D. Ferreira disse...

adorei! acho q o homem que descrevo adora essa dadinha!

almagro disse...

Boa, Paulo, thanks por seguir meu http://puracatapora.blogspot.com, farei o mesmo aki e se quiser ver mais, também na linha de humor, mais publicitário, há textos meus e mais outros serão postados, como colaborador, no "Casos da Propaganda", http://jongaoliva.blogspot.com, sucesso! abs. AGG.

Sasa disse...

Oi Paulo, gostei muito da histórinha.
Obrigada por me seguir e já estou te seguindo tbém. Bjos.

Vivian disse...

...essa Dadinha deveria
ser canonizada.

cuide disso...

rsrs

bj, querido!

Geisa Machado disse...

Meu amigo, vc sempre encontra esta mulher fantástica nos seus sonhos e fantasias... rsrsrs
Bjussss

Flor de Lis... disse...

Olá! Seja muito bem vindo ao meu blog!

Adoro humor, então passarei por aqui com frequência. Já estou seguindo.

Beijos ;)

http://fllordeliss2010.blogspot.com/

Ricardo Alexius disse...

"mulher deve parir por onde foi fecundada"
Parabéns amigo vc escreve muito bem... também fiquei triste por não ter conhecido Dadinha hehehehehe

Daglison souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaine Barnes disse...

Reconhecida pelo belo corpo e por despertar tantos desejos,teve uma vida externa divertidíssima. Ri muito pelos homens que ainda desejam e lamentam não tê-la conhecido e compartilhado dessa beleza.Criativo e engraçado seu texto migo e obrigada pela força. Jpa relativizei,mudei de trabalho e agora me empenhando para me adaptar e vencer meus desafios. Montão de bjs e abraços

Vivian disse...

Olá,Paulo!!

Nossa!!Que posso dizer...bom, você escreve muito bem!
E graças a Deus que esta Dadinha não é minha mãe!rsrsrsr
Beijos pra ti!
Boa semana!
**Obrigada pela visita.
Seja muito Bem-Vindo!!

Ana do ***Calcinha Fru-Fru*** disse...

Olá Sr. Paulo!

Primeiramente quero dizer que seu último texto está hilário, muito bom mesmo. Em segundo, me dei o direito de reposta no Calcinha, caso queira ver...

http://www.calcinhafrufru.com.br/2011/04/mudancas-de-planos-em-relacao-ao-post.html

Abraços e obrigada pela visita!

Jeovane Maciel disse...

Adorei a criatividade do texto, muito como o tema em si.
Sim mulher de verdade não tem idade.
E beleza é muito relativa, ela sozinha não persiste em homem algum, se a mulher não tiver realmente conteúdo.

Abraços amigo, ganhou mais um entre seus mil e tantos seguidores.

Carla Fernanda disse...

Dadinha era como vinho então.
Muito bom!
Pbrigada pela visita. Tô aqui!
Boa tarde!
Carla

Dessinha disse...

hsuahsuhaushaushauhsu eu ri mto mto msm rs tbm sou sua seguidora nossa fiquei boba com tanta gente se der divulga meu blog plis!!! amei seu blog

Por que você faz poema? disse...

Tadinha de Dadinha.

Thammy ♥Pancakes com Morango♥ disse...

hauahauhauha
adorei! vim aqui pela carta mara que apareceu no Calcinha Fru-Fru, mto bom rsrrsrs adorei mesmo! Acho que anda faltando humor assim rs
Beijos!

Rô... disse...

oi Paulo,
boa noite,

que bom que gostou do meu blog,
seja bem vindo!

bem original sua crônica,
danadinha essa Dadinha!!!

boa quarta

Marília Alves disse...

Paulo eu vim através de seu comentário no blog da Ana do Calcinha Fru Fru e não parei de ler seus textos, claro como boa carioca também. Maravilhoso o seu humor.
Seria que seria muito pedir pra você colocar um feed que eu possa assinar para todos os seus posts irem pra minha caixa de email e eu não perder nada por aqui?
Mil beijos e parabéns.
www.coisasdagigi.com

AVOGI disse...

cheguei cá pela mao da Manuela de Portugal , ma seu vivo na madeira , conheces? mas assim que ouvi, ou melhor li, humor c+a estou eu. tb escrevo com humor pois que a vida sem humor é como um vaso sem flores. kis :=)

CARLA STOPA disse...

Adorei teu espaço, adorei a Dadinha...Abraço.

ATÉ QUANDO VAI DOER? disse...

Meu querido amigo virtual, agradeço muito sua visita, ter aderido ao meu blog, e principalmente sua frase, e comentários carinhosos...me emocionei. Sinto que vc deve ser uma pessoa bastante sensível, senti um imenso carinho e respeito em seu comentário!!
Mas..agora posso espantar minhas dores em seu blog né? :)
Bjs carinhosos
Valéria

Gisa disse...

Fiquei até com peninha de ti! Estou pensando seriamente em te oferecer um ombro amigo...
kkkkk
Um bj meu querido, obrigada pela visita e seja bem-vindo por lá. Quanto a mim, sigo-te.

Catia Bosso disse...

Adoreiiiiiiiii!!!!!!! O blog e seu idealizador! Vou voltar,
bj.

Catita

PÚBLICO ALVO disse...

Olá Paulo , parabéns pelo seu blog.
Obrigado por ter visitado o História e Coisa e Tal. Te desejo sucesso!
Valeu!

Gabriela Guimarães disse...

Quem liga para a resignação das Amélias ou as saliências esqueléticas das Gizeles. O mundo é das Dadinhas. Toda mulher de verdade tem uma dose desse borogodó capitolino. Rá! Texto espirituosíssimo.

P. Guedes' disse...

Parabéns pelo seu blog, e adorei o comentario que voce fez no meu!
Estou te seguindo também ;)

Miriam de Sales Oliveira disse...

Vixe Maria!
Vi tanto homem que nem sei qual é o certo p/ vc ser.
E, olha que beirando os 70, que cisma em se aproximar ,posso te dizer que de homem eu entendo.
Até escrevi no meu novo livro "Contos Apimentados",o texticulo "Um pênis vê as mulheres", que anda fazendo sucesso p/ ai.
Convido vc a tb visitar meu blog caçula (tenho 7) "Café com pimenta".
Vc vai gostar. bjks

shan-Tinha disse...

essas trajetórias mete(óricas) quando tiver ultrapassado o primeiro meio século e fazendo um balanço, não comercial, chegaria a conclusão de que valeria a pena ter conhecido se não conheceu, o sexo tântrico e não o similar à era da industrialização.
hummmm!

Emoções disse...

Exelente texto. Muito bom mesmo.
Fica na paz.