SOBRE UMA MULHER REVOLTADÍSSIMA!

                                                                 
                                                             


Jurema é uma destas mulheres fogosas que carrega atrás do seu corpo escultural aquele sonho de consumo do brasileiro e há quem diga que, ela deveria cobrar ingresso para todos aqueles que na rua não tiram o olho da sua buzanfa de nádegas abundantes e fartas. 
-Jurema você ficaria rica se fizesse isso – confirma sua inseparável amiga para todas as horas.
-Pois é, em compensação aquele unha de fome do meu marido não sabe reconhecer nada e só abre a mão para apertar minha bunda.
-Não acredito Jurema o Escrobaldo não é bom pra você?
-Bom pra ele, só pensa nele, só quer na hora que ele quer, fica nervosinho se digo não, fica histérico se não atendo à lá carte seus desejos e pedidinhos devassos. É um inferno...
-Ué, da um chute neste cara Juju.
-Olha,  é exatamente Juju, a maneira como ele me chama.
-Então, é uma forma carinhosa de lhe tratar.
-Carinhosa o cacete, é para economizar letras, safado pão- duro,
-Nossa você está exagerando!
-Estou? Então vou lhe provar.
-Prova mulher...

-Eu estava precisando de umas coisinhas lá pra casa.O fogão que era mais velho que a mãe dele, geladeira que vazava água o dia inteiro, a tampa da pia tinha mais rachas do que colégio feminino de normalistas, o micro-ondas queimou duas vezes e finalmente pifou, nosso banheiro estava com o chuveiro elétrico queimado há dois meses...
-Nossa Jurema para de chorar miséria ele não comprou tudo?
-Chorar miséria?
-É!
-Você tem lido os jornais mulher?
-Não, com este monte de roubalheira por ai estou de saco cheio e não leio mais nada.
-Pois então deveria ler, e foi numa destas roubalheiras mesmo  que eu li que uma empresa  pagou por um tampo de pia de resina americana de design moderno noventa mil reais e” presenteou” pra casa de um politico pelo “favorzinho” que ele fez para os caras. Sabe o que o Escrobaldo fez com a minha?
-O que?
-Tacou cimento branco nas rachas do tampo da pia e ficou uma porcaria! Comprou uma geladeira de segunda mão pintada de pintinho amarelinho que funciona e apaga,enquanto não sei quem lá, deu pro politico “amigo” dele uma geladeira de dezoito mil paus com seis portas , três andares tipo triplex.
O meu fogão velho mais engordurado que os cornos do Escrobaldo, o safado mandou reformar, enquanto mais um empresário deu pro politico “fiel escudeiro” dele um fogão de doze bocas e três fornos de nove mil paus por outro favorzinho. E eu que só faço favorzinhos para o escrobaldo a toda hora, mesmo assim,o meu fogão reformado se o acendo tenho que usar máscara contra gases...
-Igual aos Black blocks nas passeatas né? Mas, quantos paus,você falou ai , Jurema! Nossa que fartura são muitos paus pra lá, paus pra cá.... (risos muitos risos).
-Pois é. E o chuveiro elétrico, minha filha, caindo aos pedaços ele só trocou uma tal de resistência, uma droga que não resiste a coisa nenhuma e queima toda hora.
-Absurdo Jurema! Eu fico aqui imaginando: Se com você  que tem esta apoteose de bunda desejada pelas maiores torcidas de futebol do país ele faz isso, se é comigo então, que nem tenho, pois, a minha é pra dentro e desmanchando, seu marido me colocaria para morar na casinha do cachorro. (novamente muitos risos e algumas gargalhadas).
                                        
                                                                             

O ESTRANHO CASO DO RESTAURANTE





Todos nós sabemos que comer fora de casa e, com todos os duplos sentidos possíveis que esta comi nós sabemos que comer fora de casa e, com todos os duplos sentidos possíveis que esta comilança pode trazer de problemas seja os de natureza sexual ou aquelas ligadas a saciar a fome do nosso organismo, são assuntos que fazem parte do nosso dia-a-dia.
Cada vez e, infelizmente são mais comum as traições extraconjugais que, se sucedem como se fosse impossível manter-se a fidelidade numa época em que abundam as intensas possibilidades e ofertas as mais generosas de prevaricarmos e as intoxicações alimentares por outro lado, costumam aumentar à medida que também, praticamente só nos alimentamos em restaurantes.
Agora imaginem uma mulher grávida e que não andou prevaricando e foi a uma rede de fast-food com o seu maridão e o filho e ela encontrou um dedo humano na sala que havia pedido.
O fato se deu no estado da Califórnia, num restaurante da Applebee’s e a salada era de frango, segundo publicado no jornal “The Tribune”.
Bem, nestes tempos que o diabo anda solto, algum mais extremado religioso poderia dizer que aquela mulher teria prevaricado sim e que a o dedo na salada de frango teria sido uma conjugação de esforços do além para informar ao marido que ele era corno e a prova era aquele parto parcial do dedo para desmascará-la.
Tal hipótese seria tão absolutamente absurda como estupida e irresponsável foi aquele dedo ter aparecido na salada.
Mas afinal que dedo era aquele?
Um revoltado politico brasileiro pego pela operação Lava-Jato diria que era de um dedo duro de um destes empresários corruptos que através das delações premiadas sempre estão querendo diminuir suas penas estão conseguindo mesmo!
Antigamente dizia-se que alguns políticos safados “roubavam mais faziam” agora se diz que, “roubam mais delatam”, enfim...
Afastando todas as hipóteses seja de, um irresponsável julgamento religioso estapafúrdio ou o fato de vingança e castigos aos modernos dedos-duros ladrões, a verdade é que se nos entrarmos nas cozinhas dos restaurantes nos quais diariamente nos alimentamos, irreversível para o criminoso se, ao invés de um dedo ele tivesse optado pelo pênis.
A senhora grávida poderia correlacionar imediatamente que coisas que dão prazer podem também causar intenso sofrimento, ao ver aquele pênis no seu prato e ao lembrar daquela musica de protesto de Geraldo Vandré, onde ele diz que :
”A mão que toca um violão se for preciso faz a guerra”.
E por outro lado, a hipótese de sabotagem contra a empresa por um empregado demitido também não pode ser afastada, principalmente por ter sido um dedo e por esta razão terem sobrados mais nove naquelas mãos criminosas.
Conclui-se que poderia ser muito mais constrangedor para aquela senhora grávida e definitivamente mutilante para o pseudo criminoso se ao invés do dedo ele tivesse optado pelo pênis.

JÁ OUVIRAM UMA COISA DESTA?


Estava na fila do teatro - êta povo para gostar de fila, concorda? - e na minha frente duas senhoras chamaram minha atenção, pois, “conversavam” de uma maneira muito atípica e vou lhes ser muito sincero, de uma forma como eu nunca tinha visto.
Já vi muita coisa em termos de não- diálogos e não- conversas mundo afora, inclusive um casal que sentou a meu lado num restaurante e o companheiro daquela mulher, desde o momento que ambos sentaram até quando eu me retirei, eles em nenhum momento deixaram de falar no celular e ela, um pouco mais “educada” falava e desligava, falava e desligava.
Mas ele, nem respirava!
Inclusive, enquanto comiam.
Uma tristeza, verdadeira morte do diálogo humano.
Agora imaginem o quanto de farofa, restos não engolidos de carne, pedaços perdidos de arroz, quiabo e quantas gotas de saliva e tipos outros de bebidas diferenciadas, não ficavam coladas na tela daqueles celulares.
Em nenhum momento falaram um com o outro até a hora que saí dali.
Mas o que vi e ouvi na fila para compra do ingresso de um teatro foi isso:
-Vecu sapnqurvcfsse rsrsrsrfiladrnda muie jurinbe que pnsioueu penirsrsrsrsrsntersei que vc fosse filha da eanuela de costaVecusapnqurvcfsse .Voersckkkê, Nãoioelermesmoamekkkkkkfalentensem dideufi aoou maretisseolu nsentikkkkkkkdores namseoraamescaloiuorado. Ersdea sntró mdrsrsrsebtroais uodom heesomjhem podisprsrsrsrsrsroinstennível. Nmaiterão miera naramais seutru nãokkkkkkpneomeimoradorsrsrsrs.


                                                                  
Não conseguiram entender?
Pois é, muito menos eu.
Afinal as duas falavam rigorosamente ao mesmo tempo e quase sem respirar, como se fosse uma competição de frases seguidas e ditas umas depois das outras por ambas numa tentativa bizarra, como eu jamais havia pensado que duas pessoas pudessem não deixar e em nenhum momento a outra falar, e  ambas sendo atropelada uma pela outra e a outra, por uma.
E ainda... vice-versa!


                                                                                     

RÉQUIEM DE NATAL PARA TODOS OS AUSENTES.





É Natal. Meia noite!Toca a campainha. A ceia está à mesa. 
Crianças para variar batem com a cabeça em todos os lugares da casa. Quando a gente é criança vive arranhando o corpo, depois que cresce as feridas são na alma. Todos os avós estão vivos, de todos os lados. Para a criançada isto significa uma loja inteira de brinquedos, transportada para dentro das suas casas. Afinal, avós são aqueles que já erraram uma vez e continuam agora, deseducando os filhos dos seus filhos. Suas missões é querer curtir as brincadeiras com os netos. As coisas sérias ficam para os pais, agora tão chatos como eles também, já foram! A dona da casa vai abrir a porta. Todos gritam.A criançada explode de alegria: É Papai Noel! Aquela barba, aquela roupa vermelha, aquele saco. E a criançada vai ao delírio.
-Entra Papai Noel, a casa é sua! - convidam todos.

-HO,ho,ho,ho, com vão ? Pergunta Papai Noel - com a criançada querendo arrancar-lhe o saco!

-Papai Noel, cadê meu presente - pergunta o menininho ansioso?

-E o meu Papai Noel? - dispara a outra menininha.

-Eu quero um vídeo-game - pede o garoto viciadão nesta praga!

-Ho ho ho ho, calma todo mundo - Tranquiliza Papai Noel.

A ansiedade é geral. 

Papai Noel coloca o saco no chão. 

Para espanto de todos, de dentro dele, saem duas crianças. 

Uma verdadeira escadinha de idades: 2 e 3 anos.

Não tem nenhum loirinho, nem branquinho.Papai Noel tira a 

roupa devagar.Por último a barba.

- Ariovaldo? Reconhece a dona da casa.

Ariovaldo era o esposo da ex-empregada daquela família 

que ali trabalhou durante 16 anos, falecida há dois meses 

atrás, vitima de anemia profunda e complicações cardíacas.

A família consternada abraça-o. E também aos filhos. A 

criançada não entende nada e continua a brincadeira. 

Ariovaldo” então explica:

-Antes de morrer ela estava revoltada, porque dizia que a sra. fazia a melhor rabanada do mundo, e ela tinha certeza que este ano não iria comê-las. Então pediu para trazer as crianças para comerem por ela, e lá em cima ela ficaria menos revoltada. Aí fechou os olhos e morreu. Morreu minha querida esposa!

Ao terminar a explicação todos os adultos da festa emocionados começaram a cantar a música: Natal, Natal das crianças...

Aos filhos do Ariovaldo foram oferecidas muitas rabanadas. E sorriram. Então, aí sim, até as outras crianças entenderam!

Houve uma que olhou para o céu, e... Chorou!

RUIDO NA COMUNICAÇÃO.

                                        


Era mais um destes programas de entrevistas de televisão de qualidade sôfrega e temas bons, mas muito pouco explorados e sem muitas informações a serem repassadas.
Mas afinal, como diziam os antigos, de graça até injeção na veia.


O entrevistador pergunta ao convidado, um cardiologista:
-Dr. quais as causas principais do infarto agudo do miocárdio?
-A principal causa está relacionada ééééééééééé, à presença de uma doença arterial coronariana ééééééééééé, na qual existe deposição de éééééééééé placas de gordura ééééééééééé por dentro das paredes éééééééééé das artérias coronárias que irrigam o coração.
Quando essas placas éééééééééé de gordura éééééééééé causam obstrução do fluxo sanguíneo das ééééééééééé coronárias para o coração, o músculo cardíaco sofre falta de ééééééééé sangue e começa a morrer- finaliza o cardiologista.
-Bem senhores, vamos agora a um rápido intervalo comercial- comunica o entrevistador.
E durante o intervalo, o entrevistador fala para o médico demonstrando alguma irritação:
-Dr.você está falando muito éééééééééé.Fica cansativo para quem ouve.Se puder controlar isso , ficaria ótimo, menos éééééééééé.
Então o cardiologista faz um mea culpa:
-Desculpe, vou me policiar sim, eu tenho mesmo este vício de linguagem.
Tudo então combinado, o programa volta ao ar e com a palavra o entrevistador:
-Dr.quais os conselhos que você daria aos nossos telespectadores para a prevenção do infarto?
- A prevenção úúúúúúúúúúú baseia-se no controle e tratamento úúúúúúúúúúú dos fatores de riscos e, principalmente deixar úúúúúúúúúúú de fumar. Isto é muito úúúúúúúú importante- desandou úúúúúúúúúúú´o cardiologista desastrado.
E assim, para o martírio daquele derrotado e constrangido entrevistador e, cujo coração já estava enfartando de tanta raiva e desânimo, aquela droga prosseguiu até o final, com uma maldita e ruidosa barulheira. Parecia uma asno falando!


Moral da história: Vicio é vicio e não existe milagre em curto prazo. Enquanto não vem a cura vamos trocando apenas, seis por meia dúzia.

Até a próximááááááááááááááááá.





ÚLTIMOS E-MAILS RECEBIDOS PELO HUMOR EM TEXTOS.



DESIDRATADA DA PAULICÉIA, SÃO PAULO, CAPITAL.

Sr. levo ao seu conhecimento que aqui na minha casa não entra água há mais de seis meses.
E aí no Rio de janeiro?


MINHA QUERIDA DESIDRATADA.

Na sua casa não entra água há seis meses e, aqui na minha casa no Rio de Janeiro, nestes últimos tempos, entrou sim, entrou muita água e ladrão pra cacete!
Quer trocar?
   

ADELINA DE JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS.

Tamburro, dava para você fazer uma postagem romântica ou invés deste humor idiota que só você acha graça? 
Você poderia elaborar um belo texto elogiando e falando sobre o meu pãozinho de queijo adorado que é coisa mais gostosa do mundo, o meu Ariovaldo?
Elogia ele.
Olha aí!
E coloca as fotos das suas namoradinhas!!!


ADELINA,

Não divulgo aquilo que eu como e todas  as fotos seriam:




Se é que me fiz entender.
Abração carioca.

 JUAREZ PINTO, TERESINA, PIAUI.

Caríssimo blogueiro,

Minha mulher está me traindo aberta e desavergonhadamente com o meu melhor amigo o Dulcidio Perobão.
Desculpe perguntar, mas estou tão sem noção que, gostaria de saber se já aconteceu isso com você.


JUAREZ PINTO.

Felizmente não! Mas devo lhe lembrar que entre um pinto e um perobão, a opção da sua “senhoura” não deve ter sido muito difícil.


LUIZA CONFUNDIDA DE ALMEIDA, BANGÚ, RIO DE JANEIRO.

Oi Paulão,

Sei que você é uma pessoa discreta e não gosta de fofocas, mas preciso desabafar: Minha família tá uma zona completa, pois o coroa do meu tio ta saindo com a filha da minha tia que, por sua vez ta ficando com o irmão da minha prima e, meu primo está apaixonado pelo pai da minha cunhada. Meus dois primos estão vivendo juntos, minha irmã apaixonada pela vizinha e o pior é que, meu marido perguntou se eu topava ir a uma noite de queijos,vinhos e ménage à trois, na casa de um amigo dele.
Paulão, pelo queijo e vinho tudo bem, mas, esse tal de ménage à trois, sei não! Tenho dúvidas.
Um conselho, por favor.


LUIZA CONFUNDIDA.

Dúvidas?
Sua família deve parar imediatamente de ver as novelas das seis, sete, oito, nove e o escambal da GROBO.
Inclusive estes BBB’S da vida.
Isso tem cura!



ENQUANTO ESPERAVA O TELEFONEMA!

                            


Pois é,fiquei pensado em mundo diferente, com sol à noite e lua de dia, florestas cor vermelhas carmim,e terra azulada, para poder dar ao céu uma chance de ficar marrom.
As borboletas teriam três asas, apesar de que nem imagino para que serviria a terceira, mas, ficaria diferente, ficaria sim, e borboletas só teriam uma cor e cada uma separadamente.
Pássaros não voariam e até pensei atribuir esta função a cachorros, gatos e já que é assim porque não coelhos, bois, vacas...
Só não poderiam desabar sobre as nossas cabeças. Machucariam, mesmo! E para a aviação seria um desastre muito maior, pois já pensaram uma vaca entrando na turbina de um jato comercial de carreira?
Das torneiras das nossas casas sairiam vinho ao invés desta água tradicional e já tão escassa e das mais variadas qualidades, como tinto, branco, rose. Aliás, sempre achei que o vinho é a maior criação humana depois do sexo e com sexo então fica muito melhor.
Ninguém teria que trabalhar, pois, o poder organizado, as nações seriam tão ricas que poderiam subsidiar toda a sobrevivência dos seres humanos. Seriam fornecidas tantas cestas que o mundo viraria outra.
Seria bom? Nem ligo mais para fazer análise sobre isso, afinal se crio e acabo com a minha própria criação, não seria um indicador mágico da minha demência?
O transporte individual acabaria e o coletivo também, pois imagino ser muito melhor o método prático e avançado do teletransporte, pois, afinal um feixe de laser seria emitido sobre os nossos corpos e em poucos segundos estaríamos onde quiséssemos.


Comer também seria simplificado: Tudo em pasta, nada mais para mastigar, afinal nos viemos aqui para perder tanto tempo mastigando? Um horror!
As residências seriam coletivas, tudo seria coletivo, nada mais desta coisa obsessiva de propriedade privada, isto é meu, me pertence...
De repente o telefone toca e do outro lado aquela voz feminina que estava esperando e por esta razão comecei a querer recriar o mundo para passar o tempo,disse que passaria de carro para comermos um churrasco misto, nem sei mais onde e só disse que sim, mas alertou que o trânsito estava ,para variar parado e então sugeri:
-Usa o teletransporte a laser...
-Tele o quê?
-Deixa pra lá, eu te espero.
Agora já pensaram que eu esperando pelo telefonema dela, cheguei ao cumulo de recriar o mundo, no qual tudo seria coletivo?
Vou dizer uma coisa: Coletivo é o escambau: Se botar a mão na minha mulher eu mato!
Retornei o telefonema e disse:
-Quero comer muita carne e nada de alimentos em pasta.
-Em pasta? Como assim?
-Deixa pra lá, esquece meu amor.

ELE JURA QUE NÃO SABE!!!



"A defesa do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) acusado de ter recebido US$ 5 milhões de propina, dirá ao Conselho de Ética que ele desconhecia de onde veio a quantia de 1,3 milhão de francos suíços depositados em um fundo do deputado na Suíça em 2011, além de alegar que o dinheiro é proveniente da venda de carne enlatada para a África e de operações no mercado financeiro. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".(Fonte: Ultimo segundo do site do IG de 06/11/2015).

Isto posto, caros amigos do Humor em Textos,estou solicitando que esta desconhecida e generosa distribuidora anônima de milhões de dólares a quem não pediu e está muito constrangido como o Sr Cunha, que deposite PELO AMOR DE DEUS, uma polpuda e secretíssima quantia de 50 milhões de dólares- pode ser de franco suíço- na conta ultra negativa do HUMOR EM TEXTOS,cujos dados seguem abaixo:



Titular: Humor em Textos

Banco:1045

Agência: 465

Conta:171100-717
Bairro:Crocodilopaguá
Rio de Janeiro.

Caso haja dificuldade dos senhores fazerem o depósito em espécie,tutu, grana .money, dinheiro, aceitaremos humilde e agradecidamente, algumas toneladas de carne de asno, viado, boi,cabrito ,ou assemelhados,devidamente enlatadas que poderão ser entregues nos nossos depósitos!
                                                                      
Esta é a carne mais abundante,generosa e que suporta tudo, no mundo! 
É macia ,grande, musculosa e todos gostam de comer.
Enlatada ou ao natural,vindo de um Cunha qualquer ou de qualquer outro que, nunca sabe de nada,nunca viu nada, e nem quer ouvir falar sobre o assunto.
Incrível:É só bunda que eles gostam de comer, sendo neste momento, o enlatado mais cobiçado para qualquer dieta financeira.
Povo brasileiro, proteja-se:Todo mundo sentado,por favor!

SAÚDE MEU POVO, SAÚDE!!!

                                                      

                                             

Naquele que era um hospital de referencia na localidade, entra um cidadão pagador de seus impostos e na recepção ele mostra todos os documentos exigidos, ficando uma hora depois liberado para as devidas atenções profissionais médicas.
Tinha um machucadinho à toa, apenas uma fratura exposta na perna direita e, o braço esquerdo estava pendurado na clavícula como se fosse um pêndulo de relógio.
Isto tudo porque atravessou uma rua sem olhar para o lado e quem aquele que vinha ao lado com seu carrão também, não olhou para ele e o resultado foi catastrófico e, ainda tem que ouvir a atendente falar:
-Pronto sua fichinha está prontinha e agora o senhor quando voltar semana que vem será o primeiro a ser atendido.
Não acreditando que estava ouvindo aquilo disse para atendente:
-Mas como? Não consigo andar e meu osso tá aparecendo fora da perna...
-Estou vendo senhor, isto chama fratura exposta e a sua é bem exposta mesmo.
-E o meu braço parece um braço?
-Não está bem ruim mesmo, reconheço, se o senhor bobear ele vai cair,porque o senhor está bem amassado mesmo, mas uma semana passa rapidinho.

                                                      
-Então como voltar semana que vem? – reclama furioso aquele pobre cidadão brasileiro.
-Senhor, além de não termos médico no momento, a sala de cirurgia está ocupada por 176 imigrantes os quais o Brasil humanitariamente recebeu de forma carinhosa e por enquanto, estão dormindo lá.
-Imigrantes? Dormindo na sala de cirurgia?
-Verdade senhor, os outros quartos todos, inclusive a enfermaria estão ocupadas pelo pessoal do movimento dos sem terra, lamento e dizem que só saem de lá quando houver reforma agraria.
-E o que faço? –desesperado procura junto à atendente uma solução.
-Senhor, uma semana passa rapidinho, bem rapidinho o senhor vai ver, volta e eu quebro o seu galho-tenta consolar a atendente que, também não tinha culpa nenhuma daquela esculhambação generalizada.
Nisto, como num passo de mágica extraordinária e contrariando todas as expectativas, vem passando um médico e após, o cidadão ter implorado ao doutor uma providencia para seu caso, o profissional manda a atendente providenciar um comprimido de novalgina para o quase moribundo e já no final do corredor ouve-se uma recomendação do médico:
-E repouso amigo, muito repouso nada de jogar futebol nem outros esportes radicais.

                                                   

AS AMANTES.


                                                                       



Perfilo Deocleciano era um homem “estudado”, formou-se em engenharia e destacou-se como um grande executivo de uma empresa nacional e casado há 18 anos com Maria Peritônia tinha lá seus momentos de saia justa. É que sua amada consorte, cônjuge, esposa e o escambau, não tinha lá a instrução, cultura e preparo intelectual do maridão, mas com aquele corpaço, cara com boca de lábios grossos oferecidos e uma sexualidade à flor da pele, seu esposo nunca lhe exigiu maiores compromissos intelectuais, pois, os sexuais lhe bastavam e em dezoito anos de relacionamento já tinham colocado no mundo seis belas crias.
Porém, um dia Maria Peritônia viu sobre a mesinha do criado mudo, colocado ao lado da cama na qual, ambos dormiam e já tinham feito aquele montão de filhos, a agenda que ele esquecera, antes de sair bem cedo para trabalhar.
Movida por aquela curiosidade inevitável que a fez tremer até as nádegas de seu abundante e atraente traseiro, apanhou a agenda e logo na primeira página em linhas separadas estava escrito: Guanina, Timina, Citosina e Adenina. Ao lado de cada um dos nomes um ponto de interrogação. Pronto estava ali o batom na cueca, a boca do cano da arma ainda fumegando, ou seja, provas incontestáveis de que ela era uma belíssima corna.
À noite quando o esposo chegou ela esquivou-se do beijo costumeiro e partiu para a decisão do jogo:
-Seu filho de uma mãe  prostituta, pedaço de pau podre murcho, podre, broxa, safado e canalha...
-O que é isso? TPM?
-TPM seu ordinário? Você não vale nada seu maníaco sexual intolerante, abusivo, cachorro, tenho as provas, quantas amantes, e o pior, ainda sem os telefones, são as interrogações da sua vida não é seu putasso?
-Eu putasso? O que é isso? Palavrão novo? Que palhaçada é essa minha Peritônia querida-Tentava compreender Perfilo Deocleciano e já tremendo mais que pudim de leite fora da forma.
-Vi tudo na sua agenda que esqueceu aqui em casa, minhas malas já estão prontas, vou para “casa de mamãe”- desabafou caindo em choro histérico compulsivo enquanto abria a agenda dele e apontava para os nomes das provas incontestáveis, segundo ela, do crime.
Quando ele leu, começou a dar intensas e intermináveis gargalhadas e tão agudas que teve que jogar-se no sofá, pois, não se aguentava mais em pé.
Após o acesso de risos disse:
-Guanina, Timina, Citosina e Adenina são as quatro enzimas básicas do DNA do ser humano e responsáveis pelas reparações das falhas genéticas e, cujos estudos, deram  o Prêmio Nobel de Química de 2015 aos pesquisadores Thomas Lindalh, Paul Modrich e Aziz Sancar- Continuando a rir muito.
-Jura? E as interrogações? Não eram pra lembrar que você que tinha que descobrir os telefones “delas”?-perguntou já com cara de idiota e exibindo um sorriso amalelado tipo, gema de ovo de granja.
-Juro, e anotei com as interrogações para me aprofundar nas pesquisas. E agora vou multar você minha gostosa. Vai ter que me dar o melhor de você- puxando-a para o sofá.
Naquele momento, com certeza o casal deve ter feito a sétima cria daquela já, numerosa prole.
Antes assim, afinal tudo na vida realmente, é uma questão de química.