CALOR DO AMOR, EM CIMA DO TELHADO.







Era um daqueles dias ensolarados de verão,no qual as mulheres apesar de estarem de fio dental e dentro d’água do mar, ainda assim ficam todas suadinhas, além de molhadinhas.

Quanta sensualidade!

Isto depois de terem que disputar no tapa um metro quadrado de areia para fincar o seu pau da barraca!

A frase ficou meio dúbia, porém deu para entender, não é?

Mas esqueçam estes devaneios e vamos a historinha real.

Nosso amigo, solitário, dentro de casa, amargurado e irritado com o calor que estava sentindo, pensou até de forma irresponsável e desesperada , entrar no freezer.

A sensação que ele tinha era a que de que a sua pele estava encolhendo e derretendo como o gelo das calotas polares.

Pois é, quarenta e dois graus a sombra. E na sombra onde ele estava, parecia literalmente, o Quinto dos Infernos de Dante de Alighieri, na sua obra A Divina Comédia.

E não era absolutamente, uma divina comédia.,pois o cara reclamava, reclamava, reclamava de forma trágica e desesperadora..

Enfim, tomava água, chupava pedras de gelo e misturava com cerveja estupidamente, gelada e além disso sonhava estar debaixo de uma bela cascata.

Muita água , pois o calor era aterrorizante!

Os cachorros todos de boca aberta e moribundos , esparramados pelo chão, pareciam estar mortinhos, como se tivessem acabados de desfilar na Avenida Marquês de Sapucaí pela sua escola de samba preferida, e olhavam para o dono como se pedissem menos calor, e mais consideração.

Uma mania que todos pensam que funciona e abrir a geladeira e apanhar aquele bafo frio nos peitos.

Ledo engano pois, não afasta o calor e o aproxima de uma bela pneumonia.

Então, depois de todos os paliativos, não restava mais jeito: o negócio era ligar mesmo o ar condicionado.

Não tinha mais saída, dane-se a conta no final do mês! E então, ao ligar o ar condicionado, imaginem: faltou energia e então, o apagão total.
Bem, sem saída resolveu apelar para a natureza e quem sabe um ventinho distraído , não correria pela janela? Então, foi nesse momento que ele teve uma das maiores lições da sua vida .

Numa casa em frente, em cima do telhado um operário, tirava e recolocava algumas telhas, sinal de que deveriam estar provocando vazamentos.

O cidadão estava brilhando de tanto que suava,e então o outro que dentro de sua
casa estimava uma temperatura de quarenta graus imaginou que , lá no meio daquelas telhas, a sensação térmica deveria ser, de no mínimo uns cinqüenta graus.

E pensou que o operário iria rolar lá de cima, pois era impossível aguentar aquele calor de um verdadeiro crematório.

De repente, ao invés do óbito esperado, o bravo pedreiro olhou para a janela e ainda pediu desculpas por estar, possivelmente devassando a casa do inconformado calorento e sorriu de forma amigável, começando a cantarolar, ensaiando um leve rebolation e fazendo paródia de uma conhecida musica:

-“Quero que você me ame neste inferno e que tudo mais vá pro inverno” – finalizou ainda com um gracejo, dizendo que aquela era a musica preferida da sua amada.

Realmente, a vida é sempre uma moeda de duas faces, e até a maior dor é capaz de suportar os maus tratos ao físico, se lá dentro estiver abrigando um coração fervendo, sim, mas de paixão, tornando assim a vida muito mais suportável, inclusive ao calor.

Fica então o ensinamento de que a dor pode ser inevitável , mas o sofrimento é opcional.

26 comentários:

Cynthia disse...

Nossa vou ser a primeira a comentar, quanta honra.
Esse post parece com o signo de Peixes. No fundo ele ficou solidário com o telhadista que esqueceu dele.
Abraço Cynthia

Idiótica. disse...

Só consegui ficar com pena do moço no telhado rs..
Lindo encerramento.

shan-Tinha disse...

é, nem sempre a grama do vizinho é mais verde, às vezes ele próprio, como vive, é a própria grama!
bj e que teu calor seja só humano!

Celma disse...

Muito bom! Foi inevitável não comparar com o calor infernal de Palmas-To. Aqui falamos que os palmenses quando morre e vai para o inferno tem que levar edredon, rsrsrs. Parabéns, adoro seu humor. Beijos.

Marli Boldori disse...

Excelente texto,gostei muito.Percebi que você usou a intertextualidade,isto é foi conversando com outras escritas.Amei.Parabéns! Um grande abraço!

Patrícia Rocha disse...

Esse texto, é um baita ensinamento! Valeu, adorei :)

Beijos ;**

Gabrielle Lima disse...

o blog tá lindo, textos perfeito *-*

Rosangela Brunet disse...

Oi,Paulo

Que bom ter voc~e no meu blg.É uma honra! Vou adorar seus alunos por aqui,mas acho que eles não vão gostar muito da sua "leve pressão " para seguirem meu blog!!! Acho que não mesmo !!! Ah!!! Ser blogueiro é Punk !!! É super fashion!! Eu me distraio muto por aqui...rsrsrsrsrs...Mudando de assunto....gosto muito de crônica e essa sua é muito boa mesmo...Parabéns...um coração cheio de paixão muda mesmo o rumo da nossa vida...sempre acreditei nisso...tô te seguindo tb,tá! ...espero poder desfrutar muito de seu trabalho aqui.Bjs

Beta disse...

Obrigada!! Tbm adorei seu blog...

Marta Rocha disse...

Olá Paulo, mto bom o seu blog, gostei! E me diverti tbm.
Obrigada por visitar o meu , dar sua contribuição com um comentário. Fiquei mto contente, ainda mais pq acabei praticamente de fazê-lo. Fique à vontade para me visitar e pode ter certeza, que tbm estarei aqui .

Ah, algo aconteceu ontem , que o seu comentário desapareceu. E tbm algumas postagens que fiz sumiram. Aconteceu isso com o seu blog tbm?

Abs,
Marta.

Dayse Sene disse...

Calor é calor e nos tira realmente do sério. Mas claro que algumas pessoas sofrem mais que outras. Peles delicadas são mais "sofredoras", (risos). Ninguém aguenta calor.
Quando aqui esquenta, dá vontade de entrar em um congelador. Meu ex marido uma vez, me disse que compraria o congelador para eu dormir (kkk) viu como sou quentinha? É só uma questão de temperatura. E o moço do telhado, provou que para ele tudo é suportável, dor, calor. Se ainda sobra-lhe humor para cantar, é que está na lista dos que sabem viver a vida, mesmo que o sorvete derreta no calor...chorar para que?(risos). A frase já diz:" Deus dá o frio, conforme o cobertor" portanto dá o calor, conforme...o ar condicionado, o ventilador, e ou a brisa suave, para quem não tem "dindim" para gastar.
É isso.
Beijos amigo lindo.

Cidinha/Marieci disse...

rs
Amo e Drummond! Abraço

mery disse...

Nossa! Amei, além de me divertir com esse texto maravilhoso, foi uma lição de vida pra mim...
Eu adoro o verão carioca, chega o inverno,eu fico deprê*.
Adoro você.Beijos, amigo
-"Quero que você me aqueça neste inverno..."

ANA ROOS disse...

OBRIGADA PELA VISITA LÁ NO MEU CANTO, melhor ainda vir aqui...

Olha só li um texto que dizia quase a mesma coisa desse seu aqui, só que o texto era sério, poético até, mas o seu me fez pensar, é exatamente assim mesmo, a gente pode rir ou chorar do mesmo assunto... tudo depende da gente, diria até mais, sempre pode piorar não é? Mas sempre pode melhorar também...

beijos e aparece mais lá, adorei seu comentário sobre o meu nome...

Vanessa Zanqueta disse...

Olá, primeiramente parabéns pelo blog, conteúdo muito bacana, de verdaaade.
E muito obrigada por me seguir.
É isso aó, glorioso alvinegro praiano é campeão e é issoque importa.
Mais uma vez parabens pelo blog.
Bjooo

Vanessa Zanqueta

♥ Paulinha ♥ disse...

Muito bom o blog .... Parabéns !!

Audrey Andrade disse...

Apesar do friozinho que faz hoje – sou carioca e qualquer ventinho... já sabe, né?! Casaco! – esse texto deu calor!

E ficou o ensinamento: que calor venha do interior para aquecer a alma, mas não para castigar o corpo físico! – nossa, ficou profundo! rsrsrs

A maioria das coisas fica mais fácil quando se tem uma razão para ser feliz, apesar dos tropeços do dia-a-dia, menino Paulo.

Nem sempre quem parece estar em situação menos favorável é menos feliz! Há muito mais no “outro” que se possa supor.

Um abraço!
http://pequenocaminho.blogspot.com

Áreli Fávero disse...

Quanta inteligencia, suas palavras suaram de forma real em minha mente, escritura maravilhosa, muito interessante o texto

Elaine Barnes disse...

Quanto mais a gente reclama ,mais importância damos a situação e mais ela se agrava com isso. Realmente que dói , dói,mas, ficar sofrendo é opcional mesmo. As coisas tem o ênfase que a gente dá né?! Amei amigo,demais! Montão de bjs e abraços

Manuella Epaminondas disse...

Adorei,,,
seu espaço,
o texto muito bem feito!
Parabéns

http://manunatureza.blogspot.com/

Carol Bonando disse...

Sim, fica o aprendizado! kkk

Olá, há muito tempo você não aparece no meu blog, sei que demoro para escrever, mas publiquei alguns textos e você não comentou nenhum... Aparece por lá, preciso de incentivos!!! kkk
Beijos carolbonando.blogspot.com

Michelle Gregório disse...

Como um autor do Realismo,mesmo com o friozinho que está no RJ consegui até sentir calor pela riqueza de detalhes.
Ótimo Texto!

Taia disse...

Olá, obrigada por seguir meu blog. Estou seguindo o seu também. O conteúdo é muito bacana, sucesso!

Michelle Gregório disse...

Bom Dia Paulo,
Vc disse que estava me seguindo,mas olhando na minha lista não vi vc por lá.
BJ

Evanir disse...

Olá seu blog é genial estou seguindo você convido a me seguir também.
Um lindo Domingo beijos meus,,Evanir.
www.aviagem1.blogspot.com

sonia jobim disse...

Olá Paulo, que bom que gostou de meu blog. Também me tornei blogueira por exigência do tempo. Não há como resistir, ainda mais quando a experiência é irresistível. Veja agora, quantas idéias interessantes, formatos, surgem, como o seu blog, que tem um humor que gosto.
Aliás, o humor é a grande sacada da vida. Por acreditar nisso, já fiz oficina de palhaço, oficina do Augusto Boal e curso com Fábio Porchat em stand up. É isso. Abraços