DIÁLOGO DE CASAL.










Afirmar que o casamento é uma instituição falida e ultrapassada nada tem de verdade.
Existe , isto sim, pessoas cuja personalidade e convicções existenciais jamais deveriam procurar uma cara metade para infelicitar-lhes até que a morte os separe, assim ,como outros, que acreditaram sempre que poderiam ser felizes ao lado um do outro, por opção livre e convicção de valores próprios e imutáveis. Como vemos existe gente que nasce para aquilo e aqueles que vivem, também, para aquilo outro.
Entre o primeiro segmento social dos incompatíveis com a vida a dois e que a procuram irresponsavelmente, sabendo que além de sexo, muito pouca coisa sobra daquela relação e como sexo é igual a desejo de comer uma boa feijoada, naquele dia, se come: Pronto!
É impossível ficar comendo feijoada todos os dias durante anos.
Ai começa o troca-troca.











Eles começam depois de empanturradas de feijão e todos aqueles ingredientes típicos, a querer novidades como uma piranha assada na grelha, Farofa de içá torradinha (içá é um tipo de formiga, a fêmea da saúva que em geral se come as bundinhas delas, torradinhas), cogumelos da malásia fritos e as suas parceiras caem de boca na novidade de um testículo de boi à moda árabe, ou aquela campeã comida alemã ,o chucrute com grossas lingüiças de porco.
Enfim, quem opta por querer uma vida a dois só porque estava com fome um do outro, corre o mesmo risco daquele que entra no supermercado com o estômago vazio , ou seja vai comprar muito e comprar muito mal os alimentos que na verdade inconscientemente, ele está é matando a sua fome daquele momento.
Mas o casal Uracy Marissoba e Adélia Negromonte, era exatamente aquele tipo de gente que nasceu para viver a dois, viam pouca televisão, curtiam cinema só eventualmente, teatro idem, televisão vivia desligada mas curtiam conversar um com outro, durante horas pois, isso, era o que alimentava sua relação, independente de tudo.
É o famoso casal papo cabeça.
Vejam as pérolas dos diálogos que em certo momento Adélia Negromonte ponderava com Uracy Marissoba seu companheiro atento a cada palavra que sai da sua boca:
-Pois é Oracy, aquilo que eu mais gosto nos homens , em você é muito grande e extravagantemente, desnecessária.
-Meu membro genital, querida?
-Não, bobão, sua barriga ! - muitos risos e selinhos. E o revide foi imediato:
- Verdade Adélia, no entanto uma das coisas que eu mais gosto em você fica tão escondidinho, tão escondidinho, que eu só tenho acesso quando você quer e nem por isto eu jamais reclamei.





-Pô Uracy, ficando ali você não me de dá nem um minuto de descanso, imagina se ela ficasse na minha testa.Aí, com certeza, você nem sairia para trabalhar – novamente muitos risos e agora um beijo na boca não- técnico de língua, tipo vassoura, ou seja aquele que vai varrendo tudo lá por dentro
-Sabe Adélia, você deveria parar de dizer que quer ter múltiplos orgasmos toda vez que faz sexo comigo...
-Ué, porque, cara pálida?

-Porque Adélia, eu só tenho um de cada vez e acho isso muita sacanagem da natureza.
-Então, reclama com essa tal da natureza e propõe a ela ficar com meus múltiplos orgasmos e levar como bonificação as minhas menstruações, TPM e o escambal...
-Não Adélia, isso nunca! O preço seria muito alto - Mais risos e abraços e agora parece que de tão enroscados, vai ter muito além do que selinhos e beijos de língua na boca.Com certeza é jogo de campeonato, valendo três pontos e pelo jeito vai ter muita bola na rede.
Estão vendo como o relacionamento pode ser um eterno encontro de felicidade e humor?
Tem gente que nasce para aquilo.
E outros, também, para aquilo outro.
E você?







13 comentários:

Gisa disse...

Ter um par, relacionar-se com o outro é uma descoberta diária de encantos e decepções. Adaptação e respeito mútuo são as linhas onde o amor e o companheirismo são a alma.Sei disso há 28 anos...
Um grande bj querido amigo

ANDREIA disse...

Precisamos descobrir, que há um encanto nosso de cada dia que só poderá ser descoberto, à medida em que nos empenharmos em não reter a vida.
Viver é exercício de desprendimento. É aventura de deixar que o tempo leve o que é dele, e que fique só o necessário para continuarmos as novas descobertas.
Há uma beleza escondida nas passagens... Vida antiga que se desdobra em novidades. Coisas velhas que se revestem de frescor. Basta que retiremos os obstáculos da passagem. Deixar a vida seguir. Não há tristeza que mereça ser eterna. Nem felicidade. Talvez seja por isso que o verbo dividir nos ajude tanto no momento em que precisamos entender o sentimento da tristeza e da alegria. Eles só são suportáveis à medida em que os dividimos...
E enquanto dividimos, eles passam, assim como tudo precisa passar.
Não se prenda ao acontecimento que agora parece ser definitivo. O tempo está passando... Uma redenção está sendo nutrida nessa hora...
Abra os olhos. Há encantos escondidos por toda parte. Presta atenção. São miúdos, mas constantes. Olhe para a janela de sua vida e perceba o pássaro encantado na sua história. Escute o que ele canta, mas não caia na tentação de querê-lo o tempo todo só pra você. Ele só é encantado porque você não o possui.
E nisto consiste a beleza desse instante: o tempo está passando, mas o encanto que você pode recolher será o suficiente para esperar até amanhã, quando o passaro encantado, quando você menos imaginar, voltar a pousar na sua janela

ANDREIA disse...

Hoje e meu niver passe pelo meu Blog

bjocas

Paulo Tamburro. disse...

Olá GISA,

falou a voz da experiência!

Sentí firmeza,e que continue assim.


ANDREIA,

parabéns amiga, passei por lá sim, e tudo de bom.

E para ambas um abração carioca.

Angela Vasconcellos disse...

Para cada relação existe um código. O grande lance é ter paciência para descobri-lo. Eu, particularmente, gostaria de ter o pacote completo, humor, amor, sexo, cumplicidade, parceria, essas coisas básicas e impossíveis de acontecerem ao mesmo tempo. Então, escolho o que, naquele momento, me faz bem. Sabendo que tudo é transitório, ser feliz fica um pouquinho mais fácil. O que eu gosto mesmo é de gostar e sentir que gostam de mim, o resto a gente administra. Ou não, como dizia Caetano.

Paulo Tamburro. disse...

Oi Angela Vasconcelos,

esse seu pacote completo é muito fácil de ser encontrado.

Conhece um tal de Paulo Tamburro?kkkkkkkkkk.

Um abração carioca

Maíra Cunha disse...

Paulo, fiquei muito feliz com sua participação no meu blog, e vim conhecer o teu, e caramba adorei teu espaço, adorei o diálogo que você criou, e você me fez parar para refletir sobre relacionamentos, hoje em dia muitos se casam por sexo, e mesmo sendo um ponto muito forte não é o que mantem um relacionamento em pé, acho que o principal é a amizade entre os dois o que agente percebe entre a Andreia e o Uracy. Voltarei sempre, um grande beijo!

Maíra Cunha disse...

Olá Paulo, indiquei seu blog, em uma brincadeira de perguntas e respostas:
http://www.fazdecontatxt.blogspot.com/2012/03/memes.html

Paulo Tamburro. disse...

Oi,MARIA CUNHA,

você manda, falou tá falado e não tem discussão, ok?

E muito obrigdo por você estar aqui, é uma grande alegria pra mim e volte sempre.

Combinado?

Abraçãao carioca.

Joicy Sorcière disse...

Adoreeeiii seu texto... eu estou no grupo que NÃO acha que o casamento seja uma instituição falida. O que anda falida é a cabeça do ser humano. Mas, deixo claro que respeito quem diz que não pretende se casar, apesar que penso ser uma escolha "definida temporariamente", pois não acho que alguém possa mandar nos sentimentos, dizendo que nunca vai se apaixonar e querer viver para sempre(mesmo que esse para sempre dure pouco) com alguém, até que aconteça.

Sobre casamento, eu falo com conhecimento de causa que é algo que deve ser construído coletivamente(os dois, claros... pq essa coisa de colocar uma terceira pessoa na parada não é pra mim... rsrsrs... mas, não sou moralista, viu? Pelo contrário...).

O que mais me intriga, nesse assunto sobre casórios e afins, é aquela visão religiosa de que o casal é um só. Um só o escambal(viu? eu tbem conheço esse termo...rsrs). São duas pessoas, com pensamentos diferentes(mesmo que mais próximos possíveis), com gostos diferentes(mesmo que tenham alguns similares) e por aí vai. Por isso é preciso respeitar cada um, sem querer fazer com que este o aquele mude seu jeito de ser. Hoje, vejo que marido e eu somos muito parecidos, muito próximos e muito cumplices, mas, ainda assim, temos SIM nossas individualidades.

Adorei o texto! Adorei o bom humor!!

Ahhh, sobre seu comentário lá no blog, com certeza o trânsito tem se tornado cada dia pior, isso é fato. Com seus fanfarrões, 171 e sem noção nos volantes...

Mas, sabe o que tenho visto, Paulo? Não só os artistas em seus 1.0, como também os que se acham os deuses encarnados, em seus carrões de 2.0 pra cima! Exibem seus carrões luxuosos, passando por cima de tudo e de todos, como se nós, pobres mortais, fôssemos verdadeiros nada. Invisíveis, é o que somos!

Sobre o trânsito de Sampa, foi como falei ao JaimeZinho, estive aí nos últimos anos, por duas vezes e quase enlouqueci com o caos que existe aí. Eita ferro! Loucura ao cubo!!!!

Tudo bem, olhando pela perspectiva que vc me apresentou, nem vou reclamar mais... afinal, poderia ser bem pior! rsrsrs

Adorei sua visita, viu? Adorei ler seu comentário... desejo que volte sempre que puder e quiser! Obrigada pelos elogios aos meus cabelos, em meu penúltimo post!

Espero que não se importe com o comentariããããooo... sou dessas. Me empolgo!! rs

Ps. Respondi o email que vc me mandou... Fiquei feliz por vc ter gostado de minha cidade, Goiânia. Ri horrores com seu relato!

bjks

JoicySorciere => Blog Umas e outras...

Paulo Tamburro. disse...

JOICY,

bem vinda ao nosso mundo que pretende ser alegre e despretencioso do humor.

Alegria é costurar a felicidade bem junto das nossas peles.

Você é tão simpática como sua Goiânia e seu comentário é extarordináriamente, reveledor da sua graça e inteligência.

O seu blog é muitissimo bom e estarei sempre por lá.

Obrigado por tudo.

Um abração carioca.

Joicy Sorcière disse...

Eu falei de sampa(respondendo ao seu coment) como se vc morasse em lá... rsrsrs... sorry, vi que vc é cariocaaa! Enfim, é como eu disse, aquilo lá é uma loucura. Ainda bem que só vou a passeio(e adooooro!).

Obrigada pelos elogios ao meu blog e a minha pessoa. Vc é um queridão e confesso que já gostei tantão!!

Vc será sempre bem vindo.

bjks JoicySorciere => Blog Umas e outras...

Miriam de Sales Oliveira disse...

Pauleta, sobre as garotas de programa, vc e sua mente suja que só pensa "naquilo" esqueceu umas muito importantes,as garotas que criam programas para o computador.
rsss bjks