AQUELE HOMEM ENAMORADO.

                               


E aquele homem enamorado, botando sentimentos afetivos por todos os poros e com as narinas abertas e respiração ofegante era o próprio búfalo no cio.


Nutria desejos inconfessáveis,óbvios e prementes por aquela mulher que nem cabia mais dentro do seu coração, de tão grande que era tudo que sentia por ela.
Apesar de só ter um metro e cinqüenta dois, ela não cabia mesmo no órgão cardíaco do apaixonado. Imagine se fosse uma lutadora de sumô.

Telefonava para ela toda hora, mandava-lhe bombons quase a intoxicando de tanta gordura de chocolate, além de flores, balinhas que vivia procurando nas docerias , além de quinquilharias bugigangas tipo ursinho de pelúcia, travesseirinho vermelho em forma de coração escrito :“Te amo”.
O amor não é lindo?
Enfim, era um homem que vivia os melhores momentos do seu amor  com aquela que os homens da vizinhança chamavam acintosamente de gostosa e que, parava todas as obras pelas quais passavam, pois pedreiros , carpinteiros e todos os outros abnegados trabalhadores braçais  colocavam a cara para fora dos tapumes e  diziam para ela elogios que mulher nenhuma, normalmente, ouviria sem constrangimentos.
Pesados, muito pesados, tipo...Não deixa pra lá é melhor não mexer nisso!

Era um dos corpos mais lembrados e homenageados pelos tarados de plantão, naquilo que se costuma adjetivar como sexo solitário.
Um belo dia o enamorado sentou em frente ao computador e pensou consigo mesmo que iria escrever para ela, algo que jamais sua amada, salve ,salve teria lido.
E mandou aquele tijolo enorme e sem fim com varias laudas digitadas além de fotografias de  abraços, beijos,apertos de mãos e toda uma serie de fotografias surrupiadas da internet além de gifes as mais variadas. Seus e-mails tinham mais  movimentos e brilho que desfile de escola de samba.

Sua amada salve salve, leu tudo,e mandou como resposta esta pérola:
“Querido, sei que você me ama, mas arruma um trabalho fixo, talvez desta forma você pare de me mandar mimos baratos de 1,99 como estes bichinhos que até sem olhos já vieram e alguns até com alguns rasgadinhos...uma pobreza querido.
E outra coisa eu disse que gostava de chocolate bom, de bombons recheados de licores e não estes tabletes de chocolatinhos de quinta categoria e bombons que são intragáveis.
Desculpe tá amor, mas devemos ser muito francos um com outro e já que é assim, cuide do seu bilau, pois, ele está sempre fazendo corpo mole e talvez a causa seja o excesso de  bebida que você anda ingerindo, meu amor.
E por favor, se beber, além de não dirigir, não coma como tira gosto e sob hipótese nenhuma sardinha enlatada com cebola crua fatiada.
Espero que você compreenda que boca não é privada.
Tem sido difícil para mim e juro que não quero dar a descarga"-finalizou em tom ameaçador o grande amor daquele homem,uma mulher que sempre detestou,sardinha e cebola, quanto mais, as duas juntas!

8 comentários:

EU disse...

Com humor amor se paga...:)
Divertido mesmo, Paulo!
:) :)

PAULO TAMBURRO. disse...

EU,

e às vezes fica muito caro!!! (rs)

Um abração carioca.

sub helena disse...

Paulo, creio que ele estava pedido sinceridade, até mesmo provocando, risos... Isso é que dá, não ter bom gosto, se ela recebesse chocolates suiços, bolsas da Louis Vitton de presente, ainda vai... Provocou, recebeu sinceridade na medida certa. Gostei do texto.
Um abração carioca.

Bell disse...

Tudo que é demais acaba sendo meio que anormal rs...

PAULO TAMBURRO. disse...

sub helena,

kkk,pois é,Louis Vitton é outra coisa, agora... é outro dinheiro também e aí o amor tem que ser outro também, sei lá muda tudo e fica cada vez mais complicado.

Ou seja...

Um abração carioca e estou indo para o seu excelente blogue!

PAULO TAMBURRO. disse...

Pois é BELL, tudo que é demais e muito ruim,certo?

Um troço de 1,99 que amor resiste?

Um abração carioca.

victoria disse...

Paulo gracias por seguir mi escondite y por tus cariñosas palabras a mi nietecita!!

También quiero darte las gracias por hacerme sonreir con esta entrada

Con cariño Victoria

PAULO TAMBURRO. disse...

VICTORIA,

eu é que agradeço e espero que possas vir sempre aqui e quem sabe sorrir.

Afinal, viver sem sorrir não é uma boa receita de vida.

Concorda?

Um abração carioca.