SONHO LATINO: A VERDADE!







No tradicional bairro do subúrbio carioca de Ramos, vamos encontrar o casal Florêncio, ambos com mais de setenta primaveras vencidas e a esperança de viverem ainda, muitos outros carnavais.

Ele Florêncio Adamastor , ela Lucia Maria que cresceram juntos, estudaram juntos,e procriaram uma verdadeira ninhada de nove filhos de um relacionamento que já ultrapassou meio centenário.

Casaram-se muito jovens, pois ela sempre despertou nele um apetite voraz e incontrolável, tornando-se premente a necessidade de um enlace matrimonial rápido para uma colheita generosa dos seus frutos.

Lucia Maria, e os seus lábios grossos, olhos verdes encantadores, pele dourada coberta de cabelinhos aloirados tipo pêssego, seios atrevidos e sempre acesos, coxas perfeitas e nádegas arrebatadoras , eis alguns dos quesitos nota dez daquele desfile de escola de samba campeã das fantasias sexuais do Florêncio Adamastor.

Ela conheceu o maridão num lugar que frequentava muito, a principal padaria do bairro na qual, sempre ia comprar sua atração de consumo preferida : Sonhos!

Era na época uma criança absolutamente viciada neles, fossem aqueles recheados de creme de baunilha ou de doce de leite.

E Florêncio Adamastor a seguia exatamente, como as moscas daquela padaria sobrevoavam aqueles deliciosos doces.

Oh, os sonhos pelos quais Lucia Maria era perdidamente apaixonada!

E foi exatamente, nestas tentações que Florêncio Adamastor em priscas eras, foi buscar inspiração e uma rara estratégia de aproximação que lhe propiciaram as armas afetivas infalíveis para abater o coração daquela menina sensual, utilizando-se do mesmo virtuosismo e aptidão semelhantes aos dos raros artistas e seus malabarismos impecáveis de um gran finale do Cirque du Soleil.

Florêncio Adamastor de forma poética e seguindo os hábitos conservadores de antigamente, escreveu em papel de pão e entregou à saída da escola onde estudavam, para sua menina morena, a provocante pergunta, se ela queria namorá-lo , assinando abaixo: “Seu sonho latino”.

Essa criativa estratégia utilizada por aquele filhote de búfalo no cio e aspirante a predador masculino explodindo em testosterona com muitas espinhas no rosto, era a prova incontestável de que até os meninos com muito tesão, também pensam!

Lucia Maria ao bater os olhos naquela mágica senha da palavra sonho, até nem deu bola para o latino que vinha depois, encheu logo a boca de desejo e Adamastor Florêncio encheria a barriga dela de continuados estados de gravidez como se fosse uma doença crônica.

E na solenidade do casamento quando o padre fez a clássica pergunta se eles concordariam viver juntos até que a morte os separasse, ela rapidamente respondeu sim, e balbuciou sorrindo para o noivo:

- Só não pode, é o recheio deste sonho, azedar!

E se isto até hoje não aconteceu para o casal é porque, dependendo do tipo e da natureza das necessidades de cada um, a verdade de qualquer sonho pode contaminar nossa mente de idealismo ou simplesmente, deixar-se contaminar pelas moscas da padaria.

Sonhos diferentes!

16 comentários:

Dandara S. disse...

Ai, Paulo, você sempre me diverte com os seus tão bem escritos textos! Fazia tempo que não vinha aqui por pura falta de tempo e nem mesmo o meu próprio blog visitava. Obrigada pela leitura fácil e agradável, onde o amor reina como pano de fundo! Grande beijo.

MIRZE disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Controvento-desinventora disse...

Os sonhos, como as utopias, já diz Galeano: nos faz caminhar...
Adorei!bj

Manuel Luis disse...

As vezes la acontece! Uma viagem ao pão quente.
Abraço

Audrey Andrade disse...

Só mesmo você, menino PAULO, para me fazer viajar em sonhos... de padaria! rsrsrs
Há tempos não passo por aqui e nem pelo meu blog. Mas todas as vezes que entro, te faço a minha visita porque já é sabido que a diversão é garantida!
Meu carinho!
http://pequenocaminho.blogspot.com

Pamela Chris disse...

Eu tbm já li "meu pé de laranja lima" (meu pescoço doía tanto q td o q conseguia era ficar deitada, lendo) e adorei o livro. Viva aos autores brasileiros.
Ah, e eu adorei o texto "a mãe dos filho dela". Existe corno p/ td, ñ é mesmo? Muito bom o jogo de imagens. Vc tá de parabens.
BJS
Pamela Chis

Paulo Tamburro disse...

agradeço a todos vocês.

Angela Vasconcellos disse...

Quer dizer que atrás do humor ácido se esconde um poeta romântico?
Adorei conhecer seu lado mais suave, apesar de continuar mantendo o riso no canto da boca e os homens com nomes inacreditáveis.
Deu vontade de ter um sonho desses.
Ou provar o sonho deles.

ANDREIA disse...

Fugindo do assunto e do texto acima, quero te dizer o seguinte Paulo:

Sou sua mais nova seguidora.

Em nome das mulheres de plantão,Mulheres de meia idade(como eu)rsrs, começando a ter aqueles cabelos brancos, mas pintando-os, como vocês homens apreciam. Estou comunicando que seu blog é muito bom, demais...

Meu singelo amigo e pesquisador Paulo, sabe de uma coisa, objetivamente?

Homens de meia idade precisam realmente de mulheres ou meninas de metade das suas, bronzeadas,com biquínes de fio dental, bocas carnudas, pelinhos no corpo dourados, ancas compatíveis, seios naturais em forma de pêra(os meus são naturais, mas ainda vou analisar que forma eles tem, rsrs.)
Cada um olhando para um lado e sempre acesos(O meu anda meio apagado rsrs.)e coxas.Bumbum e sorriso impecável.

Realmente uma mulher assim, deixa as pesquisas de Andropausa equivocadas.

Parabéns pelos 80 anos do Cristo Redentor, eu ainda não fui ao Rio(apenas região dos lagos)

Adorei muito seu espaço.
É um espaço muito delicioso também.

Agora vou lhe convidar(calma!!!)rsrsrs, para estar sempre visitando meu blog de Dicas de Relacionamento.

Um abração Mineiro,

Andreia Fargnoli

Cidinha/Marieci disse...

Oi Paulo, como sempre e como não poderia deixar de ser, adorei seu texto! Sonhos... sonhos de padaria... hummm... voce está diferente neste texto...sonhando...será?
Abraço paulista
Ps. Aparece!

MIRZE disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Evelin Gandara disse...

Oi Paulo adorei.Vou ser sua seguidora também Abraços Evelin gandara

Artes e escritas disse...

Uma mensagem excelente, não se deixa os pães às moscas, sempre estão cobertos e bem cuidados para chegarem bons às refeições. Parabéns a eles! Um abraço, Yayá.

Cynthia Lopes disse...

nada melhor do que viajar no cotidiano mais simples! na padaria, nos sonhos, nos amores, nos desejos. amei, como sempre! texto leve e solto, falando de gente é sempre tão humano e bom e gostoso que vale muitos sonhos, Paulo e muitos outros, bjs

Mila Noya disse...

Não achei o outro comentário.
Mas enfim, que importa, né?!

Cativa!!
Completamente cativa por seus textos e por seu mimo...

Mimo sim! Era preciso tanto mel no seu comentário, era?? Adoça-me e fico enjoativa, vais até cansar de ver uma boneca de pano(me chamo Emilia), saltitante por aqui.

Honrada eu de conhecer suas palavras, tua pessoa deve fazer jus.
Afônica diante do teu comentário, afff!
Mais uma vez, obrigada!! E bem-vindo!!

Outro abraço.

Pollyanna Carvalho disse...

achei tão bonito!!!!