CARENTE CREMADO.

                                               

   
                   

Os valores maiores das coisas da vida não estão fora de nós, e sim dentro de cada um.
Nossos sentimentos, o julgamento de beleza, as sensações de felicidade, tristeza amor ou frustrações, nascem de dentro para fora.
São comuns as constatações de que fulano ou sicrano apesar de terem tudo, são infelizes, vivem de mal com a vida, enfim...
Isto porque o que vemos no mundo exterior tem que ser interpretado pelo conjunto dos nossos valores e o sadio funcionamento do psiquismo, sendo o bom humor, em tese, o principal indicador de como estamos.


Já aconteceu com você certamente, assistir a uma peça teatral, uma comédia na qual a platéia ri durante todo o tempo e um cara ao seu lado, não esboça sequer um ar de alegria. Parece que estão todos drogados, embriagados e ele o único sóbrio, numa platéia delirante de alegria.
É porque ele está vendo, percebendo e entendendo outra peça, não aquela que todo mundo está gostando.
Nos relacionamentos humanos isto é constante, a julgar pelo diálogo daquele casal em crise:

-Martha Helena, melhor seria nos separarmos – diz o marido com ar entediado.
- A culpa é sua Pedro Paulo, você nunca deixou eu trabalhar fora, fazer uma faculdade, quando eu fazia regime e ficava gostosa você me engravidava logo, com medo que outro o fizesse.
-Você está sonhando.
-Não isto é um pesadelo. Quando nos fizemos o oitavo filho você disse que, antes que eu ficasse novamente uma baranga, ia aproveitar a oportunidade, desconfiando que outro aventureiro pudesse cobiçar este tesouro. Eu chorei muito Pedro Paulo. Muito!
-Martha Helena aquilo foi uma brincadeira...



-Brincadeira? Pois sim, mas não esqueço. Você sabe que eu sofro deste maldito efeito sanfona e sempre que a sanfona fica fechada, meu corpo gostosinho lá vem você com esta
perfuradora de procriação para me embuchar.
-Martha Helena é que seu corpo tem dois estados bem distintos, e sempre que você quer: ou fica imensa ou gostosa e sarada.
-E você só gosta de carne de primeira, não é seu oportunista? Só de céu azul, mar calmo, sem tempestade. Olha Pedro Paulo eu tenho uma tristeza dentro de mim muito grande. Pois,sou  o tipo da mulher que quando não estou triste, estou grávida!
-Martha Helena eu sinto esta sua amargura. Apesar de lhe dar tudo, seus olhos denunciam que você não gosta de mim. É uma ingratidão, pois você tem tudo: um televisor de plasma de oitenta polegadas, todos os aparelhos eletrodomésticos de primeira linha, nosso colchão foi feito sob medida, suas panelas são todas de teflon...
-Enfia as panelas de teflon no seu traseiro Pedro Paulo.
-Vai ser difícil, mas posso tentar.


-Engraçadinho! Eu preciso é de um homem que me ame e valorize seja da forma que eu estiver gorda e imensa, magra e gostosa, você não vê meu interior. Eu sou uma mulher frustrada, cheia de filhos e...
-Está bem, Martha Helena, eu já sabia que você me detestava. Mas quando eu morrer, você vai me dar valor e,então vai me visitar arrependida.
-Eu lhe visitar? Pedro Paulo, você sabe que eu não entro em cemitério.
-Eu sei disto, mas você vai me visitar,eu garanto!
-Pois sim. Cemitério? Nunca!
- Vai visitar sim, mesmo contra a sua vontade. Pois, sabendo que você não entra em cemitério, quando eu morrer Martha Helena meu corpo vai ser cremado e as cinzas jogadas no chão daquele shopping Center, no qual você passa o dia todo gastando meu dinheiro.
-Oba, então vou sempre de salto alto...



25 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Parece um diálogo que um homem estava querendo estabelecer comigo, ainda mais por e-mail. Então, eu lhe disse:
Fulano, como está, está bem.
E tudo se acabou. Essas frustrações, esse sentir-se deslocado, essas idiossincrasias são, como vc disse, fruto do que somos e não da coisa em si.
Gostei muito, Paulo.
Beijos,
Renata

Graça Pereira disse...

Estou de acordo com tudo o que escreveste...mas as pessoas esquecem-se disso e procuram a felicidade bem longe de...e, enquanto bastava espreitar o seu coração...
Somos mesmo complicados, né?
Agradeço-te com muito carinho os versos que deixaste lá na palhota, aquando do aniversário do Blogue...adorei!
Desejo-te uma santa e feliz Páscoa...acho que é o momento de procurarmos a paz.
beijo
Graça

sub helena disse...

Paulo, adorei o post, como sempre, levando assuntos sérios com bom humor. Mas é a plena verdade, só somos felizes realmente quando nos amamos primeiro, quando valorizamos o quanto somos únicos e especiais, se estamos em paz e satisfeitos com nós mesmos, aí sim, fica fácil expandir nossos horizontes e compartilhar nossos momentos... Estou com saudades suas lá no meu blog. Feliz Páscoa. Um abração carioca.

Nádia Santos disse...

Acho que falta a Martha Helena é amor-próprio e um freio na mangueira descontrolada do egoísta do Pedro Paulo rsrsrsr.
Adorei Paulo, um bj querido.

PAULO TAMBURRO. disse...

RENATA MARIA,

realmente, Pedro Paulo andava forçando muito a barra.

Pobre Martha Helena, vitima daquele
macholoide! (rs)

Um abração carioca RENATA e volte sempre.

PAULO TAMBURRO. disse...

GRAÇA PEREIRA,

nada a agradecer pois,é também,a sua presença por aqui e seus comentários que dão ao blog,uma característica diferente!

Grato a você e um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

SUB HELENA,

tenho passado pelo seu excelente blog, mas vou ficar mais assíduo.

Combinado?

Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

NÁDIA SANTOS,

é uma visão interessante a sua.

Um abração carioca.

Ana Bailune disse...

hahaha! Boa! espalhar as cinzas no shopping center é demais! Acho que vou sugerir ao meu marido que espalhe as minhas... mas pensando bem, ele com certeza vai antes.
Abraços, e Feliz Páscoa!

PAULO TAMBURRO. disse...

ANA,

ele vai antes? Seu marido irá ficar muito feliz com você! kkk

Abração carioca e uma Feliz Páscoa para vocês também.

O tempo das maçãs disse...

Eu ao contrário do rapaz da peça, vejo graça em tudo e acho que é o que me salva.

Muito bom o seu blog, Paulo.Gostei!

Obrigada pela visita.

Beijinho e boa Páscoa.

Mara Vie disse...

Interessante como as coisas cotidianas ganham ar renovado conforme a capacidade do narrador.Abraços!

PAULO TAMBURRO. disse...

O TEMPO DAS MAÇAS.

realmente o bom humor salva, sem dúvida!

Volte sempre.

Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

MARA VIE,

pois é,são formas diferentes de tornar a vida menos burocrática, enfadonha e afastar a "mesmice ".

A gente vai fazendo o que pode, certo?

Obrigado pela visita.

Um abração carioca.

Devaneios disse...

gostei muito do que li!
Parabéns!
beijo

PAULO TAMBURRO. disse...

DEVANEIOS,

que bom, volte sempre.

Um abração carioca.

hesseherre disse...

Meu caro confrade(...)gostei muito desta tua narrativa, mas antes de tudo é preciso frizar que o Pedro Paulo está certo...fabricando aqueles 8 filhos, aumenta a renda da família no salário-família, que é iual ao salário-penitenciário....kkkkk.
Paulo, este teu blog está uma delícia, AMIGO...
GRANDE ABRAÇÃO CARIOCA

PAULO TAMBURRO. disse...

HESSEHERRE,

saudades mesmo!!!

É verdade, amigão esse tal do Pedro Paulo é uma perfuradora de águas profundas notável e, faz reproduzir mais que maquina xerox.

Agora, quer saber?

Ele e a Martha Helena se merecem mesmo,nasceram um para o outro, enfim este monte de frases feitas.

São dois periguetes da melhor qualidade. (rs).

Volte sempre.

Um abração carioca.

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Paulo!
A vida com os seus problemas de sempre , torna-se bem mais fácil de suportar se a levarmos com sentido de humor! Gostei do texto e das imagens laterais do seu blog, Acho divertido e isso alivia o meu stress...
Um abraço de Portugal.

PAULO TAMBURRO. disse...

MARIA EMILIA,

bem vinda e estrese nunca mais, combinado?

Um abração carioca.

Geraldo Maia disse...

Paulo,
O riso é a marca deste blog.
Tudo muito engraçado. Tanto textos como ricas imagens. Gostei muito.
Abraços
Geraldo

PAULO TAMBURRO. disse...

Obrigadão GERALDO,

volte sempre e um grande abraço deste carioca.

Chris Vasconcelos. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chris Vasconcelos. disse...

Meu amigo carioca, é aquela velha história " a grama do vizinho é sempre mais verde, mais bonita". O mundo, hoje, está supérfluo, onde só o exterior e bem material importa.
Parece mesmo que os sujeitos esqueceram de valorizar as coisas que realmente importam, de gostar primeiro de si, de ser feliz por si e não pelos outros. É preciso que haja a percepção que a vida é passageira; envolver-se em devaneios e aproveitá-la é a melhor saída.
Mais uma vez, parabéns pelo blog. Importante ressaltar que além do humor, ele permite boas reflexões.

Um abraço arretado, da amiga cearense ! :D

PAULO TAMBURRO. disse...

CRIS VASCONCELOS,

obrigado pela sua generosidade critica, volte sempre combinado?

Um abração carioca.