VOU ESCREVER O QUE PENSO SOBRE AS MULHERES.



                                            ( in memoriam )


Permitam que eu fuja, só nesta postagem, da essência dos textos que caracterizam este blog.
Mas vou falar das mulheres e ...Tudo!
Para um cara como eu que mamou até quase os cinco anos, e só parou porque meu pai exigiu da minha mãe uma definição, tipo ou ele ou eu, é muito emotivo falar de mulher.
Então, vamos começar pela minha mãe.
Quantos momentos de ternura, carinho e amor eu me omiti, em relação a ela. Afinal estava tão próxima que parecia que um abraço mais apertado, um beijo mais demorado e uns afetos mais constantes, não eram tão necessários assim.

Eram, e com eram!
Quando ela se foi, caiu a ficha e fui tão covarde que não a conseguia vê-la na lápide fria do cemitério.
Dizer que o tempo apaga a dor e a saudade daquela que me colocou no mundo é uma deslavada mentira. De uma mulher que se anulou para formar, formar um homem de bem... Mãe é inesquecível!
As mulheres são úteros abençoados, que Deus priorizou para que a humanidade se perpetuasse.
A gravidez é o momento mais sublime de uma mulher e não tem como a gente não se emocionar, e só olhar aquele barrigão e pensar: Já estive ali, no ventre aconchegante de uma outra mulher.
Elas são mais ponderadas, humanas, sábias, equacionam melhores os conflitos, são mais solidárias e exalam ternura e perdão por todos os poros.
Se dependessem dos homens para terem filhos, a humanidade não existiria!
E amamentar, quando isto é possível, é um momento mágico que transcende qualquer outro quadro, de qualquer outro pintor, seja ele o mais famoso.
Sofrem, sim!
Nos relacionamentos afetivos é sempre a parte que sai mais machucada, e em geral coloca em si mesma a razão do seu sofrimento, mesmo tendo convivido com um crápula.
Como profissionais, as mulheres têm se destacado de forma exuberante e vejam, quantas Chefes de Estado são mulheres.
Mas, continuam a ser pouco remuneradas, profissionalmente, em relação ao mesmo trabalho que os homens desenvolvem.
Mulher não é flor, não é caixa de bombom, muito menos jantar fora, ganhar presentes, carro zero quilômetro, anel precioso, nada disso: Mulher é a dimensão transcendental de nossas vidas, extrapola o material, o palpável.


Vocês são o lado mais bonito do por do sol, os maiores benefícios que as chuvas trazem, o encanto de nossas paisagens que vegetação nenhuma é capaz de dar tanta beleza, e nenhum canto de pássaro é mais sonoro que as suas vozes.
E vocês que são filhos, ame-as intensamente, vocês que são seus companheiros, maridos, enfim: Respeitem!
Mãe desculpe-me por ter sido tão covarde!
Um dia estaremos, novamente, juntos.

27 comentários:

Edna Lima disse...

Humorista também tem mãe!
E pelo amor grande que recebeu se tornou ser humano alegre, compreender a alma humana e tirar proveitos das situações.
Belo texto!
Abraços. Edna

Mi F. Colmán disse...

Oi Paulo! Mesmo não sendo a mulher convencional que descreveu aí, teu texto me tocou e muito. Acredito que não existam textos que não nos toquem quando o assunto é mãe e saudades.
Eu, felizmente, ainda tenho a minha ao meu lado e não sou uma pessoa "de beijos e abraços", digamos assim, no entanto, há diversas outras formas de demonstrar amor. E tenho certeza que uma delas tu usou com tua mãe e também tenho certeza que ela percebeu. ;)
Fica bem colega.
Beijos e um excelente fim de semana.

Rivotril com Coca-Cola

Maria Teresa Valente disse...

Paulo muito obrigada pelo texto, já falei que você é muito especial, agora tenho certeza.
Outra coisa, ela sabia o quanto a amava, disso esteja certo!!!
Me emocionei, quis fazer o certo e só errei.
Abraços carinhosos
Maria Teresa

PAULO TAMBURRO. disse...

EDNA LIMA,

devo,literalmente tudo a minha mãe.

E creia, a vida foi só o começo, depois ela soube me educar de forma singular e como você disse me tornar um ser humano alegre.

Um abração carioca,EDNA e fiquei absolutamente honrado com suas presença.

PAULO TAMBURRO. disse...

MI F.COLMÁN,

ame-a intensamente e acima de tudo este bem mais precioso que Deus ainda preserva a seu lado, e ela deve ser uma mãe absolutamente feliz e orgulhosa de você pois, creia o seu blog RITROVIL COM COCA-COLA é um dos mais inteligentes que já conheci na blogosfera.

Com a absoluta certeza aqui dever-se-ia repetir a máxima popular:"Tal mãe ,tal filha".

Um abração carioca e obrigado!

PAULO TAMBURRO. disse...

MARIA TEREZA VALENTE,

abraços carinhosos pra você também, com sua contumaz generosidade e eloquente em elogios a mim.

Obrigado mesmo,Maria Tereza e tenha certeza a emoção é mútua.

E dói!

Um abração carioca.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Caramba, amigo. Que texto! Nem vou acrescentar nada aí não, está completo, mas vou relatar o que comentei ainda hoje. Tem movimento feminista(?) dizendo que... olha o absurdo... que até a biologia, até a natureza foi machista com a mulher, delegando somente à ela a missão da gravidez, como se ser mãe fosse uma coisa ruim, abominável, sendo que para mim, mãe é a coisa mais perfeita que Deus fez. E agora lendo seu texto senti um alento. PARABÉNS!!!

PAULO TAMBURRO. disse...

CARLOS,

é verdade,à mulher foi dado este único e maior evento da vida humana:
Gestá-la.

Prerrogativa de uma dádiva que elas a milênios se responsabilizam,acolhendo afetuosamente a todos nós.

É um ser incomum!!!

Abração carioca,Carlos.
















Jossara Bes disse...

Oi, Paulo!
Lindo demais!Assim como você, também morro de saudades de minha Mãe!
Atribuo a ela tudo de bom e belo na minha vida!
Minha Mãe é minha poesia!
É amor sem fim!
Beijo carinhoso!

PAULO TAMBURRO. disse...

JOSSARA,

que bom que este tema seja agregador,unir a todos nós sem dissidências,afinal nestes tempos bicudos e de tantas discordas,só as mães sejam aquelas que ainda estejam entre nós ou aquelas que residem em nossas lembranças, para conseguirem a unanimidade das nossas convergências.

Elas , sempre elas!

Um abração carioca.

Edna Lima disse...

Querido Paulo.
Que comentário! AMEI!
Bem este post foi por acaso, mas rendeu.
(Em pesquisas pra disciplina sobre espaço geográfico, em geografia do turismo encontrei e achei atual e oportuno. É que resolvi voltar pro banco de escola e quem sabe buscar um pouco de cultura que no assunto aqui é que todo humano faz ou deveria fazer.)
A natureza antecede o homem, isto é: a natureza veio primeiro e a cultura depois.
Na formação do universo tudo era natureza. Ao surgimento da vida humana e o surgimento da razão surge também o binômio natureza e cultura.
O homem para se aculturar teve de dominar a natureza e por sua capacidade de cultura teve de se afastar da natureza.
Atualmente em nossa sociedade a natureza é algo que se opõe a cultura e pela cultura como algo superior o homem acha que deve controlar a natureza.
É um processo de autodestruição.
...Amo o papel de mãe embora quase só devo a minha ter nascido um pouco mais que isto.
O resto busco até hoje. Aprendi com as pessoas boas que ainda existem e encontrei muitas até na rede virtual. Por isto mesmo fiz o que de melhor pude para os meus filhos.....
Abraços Edna Campos

PAULO TAMBURRO. disse...

EDNA LIMA,

este seu comentário dois em um , na realidade tornou-se a essência de uma coisa só, pois, a natureza- mãe e nossas mães que, nos gestaram, não diferem muito em função e diria que ambas, sofrem.

A natureza-mãe um sofrimento material mais devastador,implacável, desmedido, a outra tem seus sofrimentos subjetivos e tenho certeza de que, ambas devemos preservar, incondicionalmente!

Um abração carioca.

PS.Parabéns por ter voltado aos bancos escolares!!!

sub helena disse...

Ah, Paulo,

Você me emocionou com seu texto... Ser mulher, é se sentir forte e frágil ao mesmo tempo, é ter essa capacidade de encarar o mundo com ternura e pensar (de forma ingênua) que tudo, poderá ser resolvido, com doses generosas de amor...

Amigo, você escreveu acertadamente, o tempo não apaga a dor e a saudade, de perder uma mãe ou de perder um filho, apenas aprendemos a conviver com tais sentimentos.

Um abração carioca.

sub helena

PAULO TAMBURRO. disse...

sub helena,

mãe é algo extraordinariamente vital para a sobrevivência dos melhores valores sociais e,já dizia antigo dito popular com relação as mulheres que todo grande homem tem atrás de si uma grane mulher, eu concordo em parte , mas acho que não é atrás e sim, ao lado!

Um abração carioca.

guerreira xue disse...

Caro Paulo,
Tenho um grupo de poesia onde nos encontramos a cada 15 dias, sabe?
e tem coisa de um mes o tema era "feminismo". Então todos os integrantes procuraram se inteirar do tema para o evento. Entre tudo que "degustamos" sobre o assunto, encontrei algumas frases que vale mencionar aqui: "Sou feminista porque o mundo é sexista", "o feminismo nunca matou ninguém, o machismo mata todo dia".
Acredito que muitos homens, e mulheres também, ainda hoje confundem bastante o feminismo.
Não fosse as mulheres buscarem pelo direito a igualdade, penso que ainda andávamos na idade média.
Por outro lado, no fundo eu penso que somos nós, que valorizamos muito bem nossos homens, pois afinal somos quem os cria, e depois resta-nos ter que lutar para faze-los compreender que são bons sim, mas não melhores.
O homem que valoriza suas mulheres, seja mãe, irmã, esposa...
É um feminista.
Texto lindo, e eu estava com saudades meu amigo.
Beijo grande da Gue. :)

Dorli Ramos disse...

Oi Paulo,
Toda vez que se fala em mãe eu choro, pois foi apagado da minha mente lembranças dela, pois fui arrancada dela, pois estava tuberculose e fui criada por sua irmã.
Fui espancada, sofri pra cachorro. Seu marido era meu anjo protetor.
Casei logo e fui morar numa metrópole. Voltei viúva com um filho da cor negra dos olhos verdes, lindo de fazer babar.
Deveria ter ficado lá, mas algo me chamava: meu pai adotivo.
Continuou a me maltratar e um dia chamou meu filho de negrinho, que eu deveria adotar uma criança branca. Ele não ouviu, mas sentiu sua indiferença.
Caiu na cama, eu cuidei dela muito bem, mas meu filho só ia vê-lo quando ela recebia, ela gritava: vem...., a vó tem dinheiro para lhe dar e dava muito, mas não conseguiu comprá-lo também. Ah! Ia me esquecendo fiquei viúva e aqui no interior casei-me novamente com um lindo homem cobiçado pelas mocinhas.
Beijos
Dorli Ramos
Escrevi no escuro.Pode?

PAULO TAMBURRO. disse...

GUERREIRA XUE,

você disse uma incontestável verdade no seu comentário, verdade esta que estou pensando até em fazer depois um texto especifico sobre ele, quando diz que:"...pois afinal somos (as mães) quem os cria, e depois resta-nos ter que lutar para faze-los compreender que são bons sim, mas não melhores.

Então parece que estamos desvendando um enigma que já deu tanto livros, compêndios, simpósios,congressos e o escambau, pois, realmente,foram as mães que educaram a todos os homens,durante o processo pedagógico de suas informações e que elas,sem dúvida, passam DIFERENCIADAMENTE,para os filhos e as filhas,conceitos, valores, etc...

Para as filhas elas dizem,explicam,conversam e orientam sobre QUASE TUDO e para os filhos,sobre absolutamente, TUDO!

Quando você diz que as mães valorizam demais os homens (filhos) elas fazem exatamente, isto, ou seja os meninos formam-se bons sim, a maioria, mas pro outro lado como esta educação entre filhos e filhas é DIFERENCIADA, os meninos, sentem-se sim, os MELHORES.

E neste seu comentário, ficaram explicitas as razões!!!

Que espetacular e que forma definitiva você deu ao machismo.

E por mais paradoxal que pareça, o machismo -os homens se sentirem os MELHORES,tem sua origem na exata medida do valor que as mães nesta educação DIFERENCIADA,dão para os filhos e as filhas.

Fiquei muito orgulhoso de você.

Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

DORLI RAMOS,

você escreveu no escuro um texto radiante, cheio de brilhos de desabafos,com muita luz de lembranças , as melhores entre as piores que, lhe ficaram.

Mas creia Dorli,dizem que nós só conhecemos a Deus através do amor ou da dor e no seu caso, você conheceu Deus na sua infinita bondade e sabedoria, através do amor e da dor.

Tudo no seu devido tempo, nos espaços mais oportunos!

Que bom , hoje as coisas estarem equalizadas e no rumo normal e todos aqueles que admiram seu trabalho , ficam ainda mais contentes com este final feliz.

Um abração carioca Dorli.

Tais Luso disse...

Paulo, por que esse texto está nesse blog, amigo? Texto comovente, lindo, verdadeiro, uma confissão muito sua, muito honesta! Paulo, sou mãe, mas também sou filha, dessa forma sei perfeitamente o que você está dizendo. Muitas vezes externamos nossos sentimentos de maneira diferente, não há necessidade de beijos e abraços, o coração tem várias formas de demonstrar amor, carinho e gratidão. E cada um de nós tem a sua maneira.Não se culpe por ter demonstrado tudo à sua maneira, esse texto mostra que algo você deixou no coração de sua mãe, pois aparece claramente no seu.
Bjus, amigo!

Tais Luso disse...

Paulo, quando me referi a esse texto nesse blog foi devido a ser um texto muito sério e o blog é de humor.Foi essa a razão.
bjus

PAULO TAMBURRO. disse...

TAÍS,

realmente, logo no início, avisei que fugindo das características básicas do Humor em Texto, iria publicar aqui, e a razão é que gostaria que 3380 seguidores e bons amigos o lê-se e, até pensei,também, em publicar em todos os outros meus blogues,pois, alcançaria então, mais de 4000 amigos seguidores,tal foi a minha vontade de dizer para todos o que sinto!

E você tem absoluta razão, sentimentos ficam no coração e os corações têm uma linguagem metafisica extraordinária que , muitas vezes independem das palavras ou de gestos.

Obrigado Tais ,por sua contumaz e generosa atenção e aquele abração abração carioca.

Priscila Silva disse...

Há tempos que eu não passava por aqui! Que belo texto! :) Abraços, Paulo!

PAULO TAMBURRO. disse...

PRISCILA SILVA,

obrigado e não se ausente,se possível!

Um abração carioca.

Dorli Ramos disse...

Oi Paulo,
Ninguém é totalmente feliz: existem momentos felizes que guardamos num canto fechadinho do nosso cérebro só de amor e amarguras as trancamos a sete chaves numa outra parte do cérebro.
Tudo que somos vai depender de como trabalhamos esses valores.
Eu nasci aos cinco anos, estou no lucro, pois apagou da minha memória( não deveria ser bom, minhas irmãs sabem, mas nunca quis saber).
Hoje estou com alguns problemas de saúde e, o que os outros têm haver com isso? Não dizem que palhaço também chora e no picadeiro tem que fazer os outros rirem? Eu sou uma palhaça aqui na minha cidade. Vamos sorrir e sorrir sempre.
Beijos no coração
Dorli Ramos

Edna Lima disse...

Olá Paulo! Está cada dia mais difícil.
Se vai para África ver leões e os matam para que novas gerações não mais os vejam.
E como este dentista existem milhares.
Eu vi conterrâneos da minha cidadezinha em Minas irem caçar no pantanal e chegarem orgulhosos com as peles de onças, ainda era eu pouco mais de uma criança, mas me lembro bem da pessoa.
Tomara sirva pra chamar atenção das comunidades mundiais.
Abraços. Edna

PAULO TAMBURRO. disse...

DORLI RAMOS,

vamos sorrir,concordo!!!

Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

EDNA LIMA,

com certeza o fato está despertando o repúdio mundial.

É uma chance a mais que nós temos para revermos "práticas esportivas" que beiram a mais tenebrosa barbárie contra os animais.

Atos de covardia explícitas.

Um abração carioca.