HÁDESER-O PAÍS DO FUTURO CAPITULO 3



                         A SEGUNDA GRANDE DISCUSSÃO COM A EDITORA.

 A QUESTÃO DA ORELHA


Além de terem mudado meu nome para um que fosse mais atrativo para o marketing e a mídia em geral ,no qual eu deixei de ser Paulo Tamburro para ter que engolir este nome globalizado, internacionalizado  e metido à besta  de Paul Tamburrowisk veio a segunda grande desavença entre este autor e a editora:É que ela queria que o livro tivesse uma orelha e eu achava pela dimensão histórica da obra,deveria ter sim, mas um rosto completo
Em principio recusei‑me a permitir a inclusão de somente uma orelha neste livro. Durante algumas semanas ponderei junto ao dono da editora que Hádeser, nos traria um resgate de um passado absolutamente, desconhecido pela humanidade e pela magnitude histórica dos ensinamentos que aqui serão oferecidos ao grande público e a classe política em geral ‑ que poderão até mesmo servir de balizamento programático para os futuros governos sejam eles de tubarões, lulas, camarões ,peixe espada ou baiacu ‑ este livro merecia ter um rosto completo. repito,e não e tão somente uma simplória orelha.
No entanto, os burocratas de plantão fincaram pé naquilo que diziam ser "norma da editora e impossível de ser alterada". 
Um deles até numa atitude grosseira disse que “era melhor ter a tradicional orelha do que uma cloaca”. 
Como ele me pegou desprevenido com esta palavra fui correndo ao dicionário saber o significado daquele troço e la estava que cloaca é a cavidade onde se abrem o canal intestinal,o aparelho urinário e o genital das aves granivoras em maioria,dos repteis,dos anfíbios, dos peixes cartilagíneos e mamíferos monotremados.
Resumindo:Onde saem as fezes, a urina, o esperma e os ovos.
Após ter aquele choque de constrangimento com a contundência comparativa daquela afirmação do conselheiro da editora , reconheci que uma orelha seria o menos pior, pois, espantava aquela indesejável cloaca do meu livro apesar de destruir meu sonho de poder colocar um rosto completo em Hádeser - O país do futuro.

Superado aquele impasse burocrático, afirmo que o livro trata de relatos fantásticos sobre uma antiga nação que existiu, provavelmente onde ninguém sabe e, muito menos de mais nada que possa ser esclarecido. No entanto, o achado do seu material histórico gravado em latim vulgar em varias fitas‑cassetes encontradas na gruta do Pinto Caído no interior do Piaui as quais mandei traduzir, contratando um seminarista que me cobrou duzentas e oitenta e cinco velas daquelas  imensas que duram 30 dias, por cada hora de gravação, irá revelar uma nação como nunca, outra existiu. 
Paguei sem regatear, apesar dele ter declarado não saber o que faria com tantas velas e tão grossas,caso não obtivesse êxito como seminarista. Afinal, enfiar aquilo tudo onde? Deixou de ser problema meu!

Hádeser é um épico da esculhambação sócio‑politica e econômica de uma época tão pretérita ‑ se você não conseguiu entender o significado desta palavra sugiro procurar uma revista em quadrinhos e que só tenha quadrinhos ‑ mas que em vários momentos parece ser aqui e agora. A devassidão das atitudes em todos os setores da sociedade Hádeseriana supera em muito as verificadas nas torcidas organizadas nas arquibancadas do Maracanã ou das maracutaias políticas brasileira. É um livro de leitura obrigatória para todos os nativos que sempre ouviram, continuam a ouvir e, pelo jeito ouvirão ainda por muito tempo, esta secular, irritante e despudorada frase “de que seremos o país do futuro”.
Confiram na história de Hádeser as verossimilhanças com algumas nações contemporâneas nas quais, ou você já ouviu falar ou encontra‑se milagrosamente sobrevivendo, como um cego, surdo,mudo ou imbecilizado socialmente.
O que absolutamente, não é o seu caso, o meu,enfim o nosso caso!
                                                                                                             CONTINUA...

6 comentários:

Zilani Célia disse...

OI PAULO!
NOSSA, LI ATENTAMENTE E ME PARECEU CONHECER UM PAÍS PARECIDO MAS, DEVE SER VIAGEM MINHA.
ADOREI A CAPA, VAI SER SUCESSO GARANTIDO PARA TEU LIVRO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

PAULO TAMBURRO. disse...


ZILANI CELIA,

eu respeitosamente também acho que, você viajou alto. kkk

Esta capa rendeu muitas reuniões e uma especifica,Zilani,na qual a reunião não aconteceu pois, não tinha o que se discutir na reunião.

Muita confusão.

Um abração carioca e obrigado mesmo!!!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Paulo,
li e reli, achei interessante o mapa do Brasil virado rssss, seu nome, a discussão da orelha do seu livro, muito melhor que cloaca é claro....
ah! quero saber quando sair sua obra, será sucesso garantido. Abraços!

PAULO TAMBURRO. disse...


MARLI ,

você sempre amiga e atenciosa.
Também concordo, orelha ficou de bom tamanho .kkk
Muito obrigado , hoje estarei postando novo capitulo.
Um abração carioca.

Zizi Santos disse...

Olá Paulo
Jura que mudaram o seu nome ?
Paulo Tamburro é mais fácil pra memorizar !
Bem...
sobre a orelha, concordo um rosto completo seria mais viável, rs
Afinal é um livro divertido , mas cloaca já seria mais específico.
Hoje a tarde com algumas amigas falávamos desse país que não identificamos mais. Foram tantas frustrações, que é melhor devanear.

abraços

PAULO TAMBURRO. disse...

ZIZI SANTOS,

é verdade, fica muito difícil a identificação dos brasileiros com esta nação que parece mais o sambra o crioulo doido, samba satírico do nosso querido e saudoso Sergio Porto.

Abração carioca.