VIDA SEDENTÁRIA X MEXE-MEXE!

                                                                                   
                                                                                 

Abdominais, argolas, supino, peso, bastão, paralelas, corrida ou caminhada: saúde, seu nome é exercício físico:

- “Atenção - grita o professor -  perna direita pra cima, mantendo a esquerda no chão, lógico senão você cai seu idiota. Braço esquerdo para o lado direito, pescoço para esquerda, e cabeça para frente e para trás, várias vezes, exatamente como fazem os assessores de diretoria querendo puxar o saco do presidente da empresa. Isso continua balançando. Agora deita, mexa só com o pé direito, sentido relógio e, com o esquerdo, sentido anti-relógio. Isso, não pára, vai doer um pouco à virilha mais é melhor do que você engordar, ficar com um monte de banha pendurada na barriga, estrias, celulites e o escambau! Continua. Agora de pé. Pulando feito ganguru novo, minha gente. Um, dois, um, dois, um, dois. Não fala, não ri, não boceja. Respira fundo. Respirar é viver. Barriga bem para frente, nádegas para trás. Não menina, só empinar, não precisa mexer, nem rebolar. E pára de gemer! Isto aqui é só ginástica! Está bom, minha filha, eu sei que é o hábito. Mais faça só o que eu peço. Não cria nada! Deixa suas fantasias sexuais para outra ocasião. Mais força, força. Um, dois, um, dois, pulando mais alto, mais alto”.


Desliguei! Nossa, fico cansado até de ver aulas ginástica pela televisão!

Na verdade, nunca fiz nenhum exercício físico sequer parecido com estes que as academias de ginásticas chamam de calistênica, aeróbica, acrobática, artística, enfim, qualquer um destes suadouros coordenados que exijam flexibilidade, força disciplina e motivação.

 E para surpresa de muita gente, quem olha para mim acha que estou sempre de lado. Realmente sou magro, barriga tanquinho e torneirinha sempre jorrando forte. Ser escravo do culto ao corpo, no entanto eu considero uma paranóia de pessoas carentes, que não sabem o valor de um bom cochilo das nove da noite até dez da manhã do dia seguinte. Parece que é muito, mas não é. Só é muito para quem fica vendo. Pensam, até que você morreu. Entram e saem do quarto varias vezes, olham para sua barriga para ver se ela está se mexendo.

 -“Está mexendo, Está vivo, graças a Deus! " - exclamam com alivio, após o susto inicial.
  
E no horário de verão, existe algo mais destruidor para saúde e a forma física?
                                                                      
                                                                

O ser humano, em geral, precisa em média de oito horas de sono por dia, afirmou meu médico cardiologista. E como se calcula uma média? Tive que procurar os fundamentos clássicos de aferição da média e a encontrei exatamente, dentro da estatística - a ciência mãe desta referência.

Vejam quanta coisa interessante pode-se aprender, apenas questionando um simples termo: Por exemplo, com relação a esta tal de média estatística, você pode morrer afogado em um rio cuja média de profundidade seja de 1 metro. Como? É isso mesmo, só você dar o azar - além de nunca ter aprendido a nadar -a cair na parte do rio que tem 5 metros de profundidade. Foi azar mesmo, pois em muitos outros locais ele pode  ter 20 cm, um metro, e por aí.  Uma tremenda traição da estatística!

O exemplo, no entanto, mais definitivo e, escatológico que lhes passo, sobre esta tal de média estatística é a seguinte:
Um cara com os pés dentro do freezer a cinco graus abaixo de zero e, a cabeça dentro do forno de um fogão a duzentos graus acima, em média teria uma excelente temperatura corporal, mas na prática vai morrer como churrasco em cima e choque térmico embaixo.

 Preste bem atenção: neste caso, também a média estatística de calor, não daria para matar. Se o corpo estivesse em posição contrária, no máximo, seriam as bochechas que sairiam avermelhadas de frio. Esta é a lógica da tal média. E a explicação,definitiva sobre o porquê as oito horas em média de sono, podem transformar-se prazerosa e cientificamente, em dezoito, dezenove... 

                                                                
                                                          
Ativistas da ociosidade culpam a classe media, por esta explosão de fricotes e suores em academias de desocupados. Pensando bem, o pobre só faz ginástica no exercício profissional. Nem está aí para a outra. Também pudera, o cara acorda as quatro da madrugada e volta às dez da noite, ainda vai querer que suas várias estruturas osteomusculoligamentares estejam preparadas para mais esforço? Para o pobre fazer ginástica significa horas extras de trabalho, não remuneradas. E o trabalho dele, em alguns casos é uma ginástica apavorante!
                                                                 

A prática da ginástica pode, também gerar sérios desentendimentos nas famílias, sempre que os pais, não estiverem muito familiarizados com os termos técnicos, desta arte de manter o corpo em forma através da utilização de seus indispensáveis acessórios.
Após um exaustivo dia de trabalho o paizão chega a casa.
-Oi benzinho, tenho uma ótima noticia para lhe dar - comunica a esposa com ar de suspense de novela das oito.
-Qual é?
-Nossa filha já está sentando no cavalo de pau do vizinho...
-O quê? Enlouqueceu? Sua cabeça podre...
-Não, querido em troca ela só deu as argolas pra ele. Um troca-troca.
-Onde é que está aquela vadia?
-Marcelão, o que isto?
-Vou enfiar-lhe a porrada!
-O que isso seu estressado? Um rapaz tão bom pra nossa filha. Você precisa ver os dois juntos na esteira, que casal lindo!
-Jurema, sua vadia, como você pode ser tão devassa!
-Espera é ele. Está batendo à porta, fica aí, eu explico tudo daqui a pouco...
Arrastando as chinelas a mãe apressa os passos:
-Oi Carlinhos tudo bem?
-Tudo bem tia? Dadinha tái?
-Tá não...
-Que pena, eu prometi que daria minha vara pra ela, hoje...
Enfurecido o Marcelão parte para cima da vitima, que até tenta explicar:
-Calma Sr. Marcelão é a vara de salto em altura...
Tarde demais.A gota d’água, que faltava. Aliás, nem estava faltando mais gota nenhuma.  O gentil, Carlinhos só sentiu um tranco e apagou. Mas passa bem. Foram só, três costelas quebradas. A preocupação da equipe medica agora, é optar pelo melhor método cirúrgico que devera ser utilizado para extrair aquela enorme vara de ginástica de dentro do pobre e dilacerado vizinho, pois inadvertidamente, o rapaz deu as costas ao pai enfurecido, na hora da fuga

8 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Frequentei um ginásio durante uns anos.
Depois aborreci-me com aquilo.
Mas tenho que voltar porque preciso de fazer exercício e perder peso.
Aquele abraço, boa semana

PAULO TAMBURRO. disse...


Pedro Coimbra,

faça isso, pois a saúde e a nossas vidas não sobrevivem no sedentarismo.
Sob hipótese nenhuma!
Um abração carioca.

Smareis disse...

Adorei a postagem Paulo!
Sou meia preguiçosa pra academia, mais sei que estou precisando. Eu estou fazendo pilates e hidro. Mais estou matando mais aula do que colegial.
Andei um pouco ausente , mais já tem atualização por lá.
Desejo que o mês de setembro seja de muitas bênçãos em sua vida.
Abraços e sorrisos!
Um ótimo fim de semana!

PAULO TAMBURRO. disse...


SMAREIS,

manter-se em movimento requer realmente muito, mas muito "saco" mesmo! kkkk

Reconheço que é uma rotina que, até ficarmos viciado nela e nos acostumar leva um tempo muito grande.

Um mês de setembro excelente para você também.

Um abração carioca.

Poemas em dó menor disse...


kkkkk
Com esses nomes, os apetrechos de ginásticas, podem resultar em histórias engraçadas.

As vezes faço caminhada, e as vezes nem faço, sou demasiada preguiçosa para essas coisas e também nunca frequentei academias, pois me parecem tediosas, mas sei que um dia vou precisar...

Adorei passar por aqui, Paulo

Beijinho paulista. hehehe

PAULO TAMBURRO. disse...

POEMAS EM DÓ MENOR,

olha eu sou absolutamente a favor que se faça ginastica,frequentem academias, malhem, malhem , malhem, mas desde que sejam "eles" os meus amigos e as minhas amigas, porque eu mesmo:Tô foraaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!! kkkkkkkkkkk

Um abração preguiçoso e carioca.

Smareis disse...

Paulo é um saco mesmo exercitar rsrsrs, sempre estamos inventando desculpa. Me acho preguiçosa ir malhar.
Adorei a postagem, saiu muitos risos aqui.
Beijos!

PAULO TAMBURRO. disse...

SMAREIS,

pode colocar esta preguiça no plural, pois então SOMOS muito preguiçosos para malhar.

Você acredita que por vezes, SÓ SE OLHAR OS OUTROS eu fico cansado, pensando na força que devem estar fazendo? kkkkkkkkkkkkkk

Um abração carioca.