EDUCAR É ISSO!!!







Gervásia era  a moradora do apartamento apto 203 do edifício Camarão de Sete Barbas no luxuoso condomínio Ilha Paradise, no qual todos os blocos de apartamentos tinham o nome de um fruto do mar naquele próspero e tradicional bairro de Bangu. E todos sabiam,também que aquela moradora era uma mãe extremada, morria por suas crias e quando alguém provocava  a qualquer um dos seus 3 filhos ela escandalizava e berrava para o mundo ouvir que eles tinham sido paridos por ela batendo com a mão vigorosamente na barriga.Só não explicitava, naquele show de maternidade sagrada , de onde eles tinham saído , exatamente!Bem, não era difícil adivinhar, afinal sempre dizia que era mãe -mãe, pois nenhum dos seus filhos teriam nascidos de Cesariana, portanto... Gervásia, no entanto, era perseguida por pensamentos pouco nobres e a assombrava ter que acreditar que qualquer um deles pudessem vir a se tornar um toxicômano. Por esta razão em reuniões de família dizia para as suas crias que se algum deles quisesse um dia experimentar seja do pó maldito,  do mato fedido ou pedra mortal que o fizesse dentro da sua casa e na sua frente.Numa destas sextas-feiras animadas da vida um dos seus filhos manifestou o desejo de provar e ela então mandou que fosse comprada uma quantidade-teste da droga e, em família foi aberta a sessão do fumacê do capeta, sendo que ela também fez questão de dar um "tapa" no baseado.No dia seguinte o filho disse que não queria saber mais daquela porcaria, porém ela afirmou com ares de personal- chincheira que o tempo mínimo de testes seria de uma semana e que outras drogas e as mais variadas deveria também fazer parte do cardápio  e assim foi feito com pó,pedra e o escambau.Passada a semana decisiva os filhos , sem exceção queriam encerrar aquela maratona de provas, já que nenhum deles aprovara o consumo de nada daquilo, porém ela estendeu por mais um mês a referida "fase clinica de testes". Lamentamos informar que hoje, Gervasia está internada numa clinica de recuperação de drogados e vive gritando pelos corredores que se colocou voluntariamente naquela situação porque é uma mãe-mãe tendo provado  e assumidamente o consumo de todas as drogas disponíveis à venda na boca de fumo mais próxima do Condomínio Ilha Paradise, tudo isso em prol dos seus filhos, tudo aquilo pela salvaguarda dos seus amados pimpolhos e outras tantas palavras de ordem e frases de efeito.
Gervásia, me engana que eu gosto!

10 comentários:

Vall Nunnes disse...

Olha Paulo,essa mãe-mãe conhecia as drogas antes de ter suas crias. Devo ter parado por conta dos enjôos da gravidez ...que louca!
Mas você mandou muito bem na narrativa bem humorada.
Abraço alagoano (vivo em Goiás mas sou natural de Alagoas) e até a próxima.

Tintinaine disse...

Pobre Gervásia! Tem uns filhos que a não merecem!

PAULO TAMBURRO. disse...


VALL NUNES,

pois é, enjoos, gravidezes,enfim... Tudo justifica quando se faz necessário!!!

Um abração carioca para você ,Alagoas e Goiânia.

PAULO TAMBURRO. disse...


TITINAINE,

não a mereciam mesmo, na casa do fumacê!

Um abração carioca.

Pedro Coimbra disse...

Doou o corpo à ciência.

PAULO TAMBURRO. disse...


PEDRO COIMBRA,

verdade! Só mãe-mãe tem esse tipo de emulação ígnea em prol da prole que aqui pra nós era só ela mesmo.
Se é que me fiz entender!
Um abração carioca.

Jossara Bes disse...

Oi Paulo,
Ah, Gervásia! "Faça o que digo, mas não o que faço"!
Abraços!

Joaquim Rosario disse...

Boas
Provou e gostou do seu próprio veneno.
Quando tinha 18 anos também fumei uns charros , mas felizmente não atinei nada com aquilo.

JAFR

PAULO TAMBURRO. disse...


JOSSARA BES,

verdade, Gervásia é aquela que não resta a menor dúvida!
Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...


JOAQUIM ROMARIO,

pois é, economizou dinheiro e saúde!!!
Um abração carioca.