E QUANDO O HOMEM VIRA UM SACO DE PANCADAS?



Estava tão dolorido que mal conseguia levantar-se da cama. Mas afinal o que teria acontecido? Com muito esforço foi ao espelho e ao olhar-se viu que, seu rosto estava com os olhos pretos como se dois socos muitos potentes os tivessem atingidos.
Seus lábios inchados, não davam mais para fechar a boca e todo o seu corpo estava marcado por dentadas e unhas perfurantes.
Não acreditava naquela visão aterradora das marcas no seu corpo. E começou a tentar lembrar-se do que tinha acontecido.
Chegara à conclusão que antes de dormir estava em perfeito estado físico e agora aquele terrível bagaço humano.
Aos poucos, no entanto, algumas lembranças começaram a vir a sua mente, eram fugidias lembranças do seu sonho.
E logo escutou, Escutou uma voz lá no fundo da casa:
-Bromélia comprou minha cervejinha?
-Não tive tempo Clodoaldo Praxedes, trabalhei feito uma louca, arrumei a casa toda, o banheiro estava um chiqueiro, tinha cueca suja até debaixo da cama, o chão estava coberto de farelo de pão, pedaços de mortadela, cinzas de cigarro. Você está fumando muito Clodoaldo.
-E o que você tem com isto? O pulmão é meu e que se dane. E outra coisa: onde está a camisa preta que eu pedi para você passar?
-Não deu tempo Clodoaldo.
-lógico que não deu tempo mulher, você só fica conversando com estas vagabundas iguais a você, vai pro botequim, paquerar estes homens casados aqui do bairro. Você é uma mulher casada.Tenha mais responsabilidade.Olhe o futuro dos seus filhos,Dê bom exemplo,Bromélia.Seja mãe, e não uma piranha.
-O quê, Clodoaldo Praxedes? Você me chamou de piranha, bebum, disse que eu sou vagabunda, não faço as coisas da casa, então eu vou te encher de porrada, seu frango de macumba.
E então, Bromélia, partiu para cima de Clodoaldo Praxedes, com tudo e, acertou-lhe vários socos na boca.
Voaram seis dentes.
Dava-lhe pontas-pé no saco escrotal que, fez o conteúdo virar omelete.
Clodoaldo Praxedes gritava por socorro, mas a vizinhança dizia que em briga de mulher com homem, ninguém deveria meter a colher, pois segundo eles se Bromélia não sabia por que estava batendo, com certeza Clodoaldo Praxedes sabia por que estava apanhando.
E Clodoaldo continuava a tomar muita porrada,submisso e acabado.
Isto estava se tornando uma rotina, eram todos os dias, pois Bromélia chegava bêbada em casa, frustrada por não ter transado com aquele homem que, ela estava paquerando e louca para dar-lhe uma dentada naquelas nádegas saradas, e enquanto isso o chato do Clodoaldo Praxedes só vivia reclamando que, precisava fazer as compras, comprar cervejas, pagar o colégio da criançada, ir ao barbeiro...
Bromélia, então irritada dizia aos berros que se ele bebesse menos, o dinheiro que ela dava pra ele, sobraria e... dava  mais porrada no Clodoaldo Praxedes.
Bromélia chegava até a jogar-lhe panela na cara, dava rasteira, soco na barriga, na cabeça e o pobre coitado, sozinho e sem a quem recorrer,sentindo-se o último dos homens ,trancava-se no quarto e chorava,chorava,chorava.



Clodoaldo Praxedes , aguentava aquela desmoralização só pensando na família, nos filhos, no lar engolia, a seco.
Sua vida era um inferno.
Sexo que é bom, Clodoaldo só via pela Internet, pois Bromélia fazia tão rapidinho que não dava nem tempo para ele esquentar as turbinas. Ela virava logo para o lado e roncava até de manhã.
Em meio a tanto constrangimentos e cenas degradantes, de repente, ele ouviu um barulho da campainha da casa e Clodoaldo Praxedes quase caiu da cama, é só então viu que tudo aquilo era um pesadelo.
Nossa sua alegria foi tanta que até banho ele tomou naquele dia.
Foi a pior noite que já tinha passado nos braços do Morfeu.

Atordoado, nem comentou nada com Bromélia sua esposa, mas se ainda tinha dúvida da necessidade de algumas leis entrarem imediatamente em vigor, pelo menos de uma ele jamais esqueceria: A Lei Clodoaldo Praxedes em homenagem, no mínimo, àquele terrível pesadelo.





17 comentários:

Nádia Santos disse...

Ahhh é sério seu Paulo? kkkk. Violência não leva a nada. É muito bom e divertido vir aqui, um bju querido.

PAULO TAMBURRO. disse...

NÁDIA,

se você conhecer algum amigo seu,algum homem que, é vitima de mulheres truculentas e insensíveis,procure a policia, denuncie,exerça sua cidadania.

Um abração carioca,de um carioca que, já se livrou de umas boas porradas femininas...no papo.kkkkkkk

Ina Mel disse...

Oi, Paulo.
Dia 15 de julho é o Dia Internacional do Homem.
Diferente de machistas e feministas, sou a favor do Ser Humano e da VIDA,BEM VIVIDA, se possível.
Mas, também sei que tudo isso depende de nós mesmos.
Abraços.

PAULO TAMBURRO. disse...

Então, INA

o ideal seria que no dia 15 de julho,Dia Internacional do homem, que ambos os gêneros combinassem que, jamais pensariam em lutar pela Lei Clodoaldo Praxedes (kkk) e aposentasse, definitivamente a Lei Maria da penha, ,por inteira compreensão que, nada mais as justificassem.

Não seria ótimo?

Um abração carioca.

Ritinha disse...

Bom dia!
Ri alto por aqui com algumas passagens.
Gostei demais!
Ritinha

PAULO TAMBURRO. disse...

Ritinha,

isso, ria bastante alto mesmo e, quando a vizinhança perguntar qual a razão, diga para eles visitarem o blog HUMOR EM TEXTOS. KKKKKKKKK

Imagina que propagandazinha legal?

Um abração, minha amiga virtual e gosto muito de ter você por aqui.

Rita disse...

Hoje agradeço sua amizade elogio seu post
e desejo um bom final de semana
Bjuss com uma bela frase
Rita!!!!

. . . ✿•*¨`*•.¸(¯`v´¯)¸.•´*¨`*•✿ . . .
"Não importa se teu mundo tá caindo aos pedaços. Quando você começa a ter mais fé, de alguma maneira linda a vida dá um jeito de ficar melhor."

- Caio Fernando Abreu-

PAULO TAMBURRO. disse...

RITA,

sempre tão esperada por mim aqui, neste blogue e principalmente,quando vem acompanhada deste imortal Caio Fernando de Abreu e que, nos deixou tão prematuramente.

Um abração carioca.

Graziela disse...

Paulo você escreveu o texto em homenagem ao Dia do Homem?
Muito legal 'inverteu os papéis" A mulher quase sempre é a vítima. Algumas até gostam ''uma porradinha não dói! Só com amor, né?
Q pesadelo!
Fiquei arrepiada enquanto lia... Sério !rs

Graziela disse...

Se puder d~e uma olhadinha no meu Blog; algo constrangedor. Comente se quiser e eu só publicarei se vc permitir. Alguém te mandou um beijo* rs
Sabe que ela nunca esqueceu seus comentários? Infelizmente acabou com o Blog dela Cely ( (Mery*

PAULO TAMBURRO. disse...

Olá GRAZIELA,

é apenas uma ficção que pretende criar um clima menos tenso e ameno do que ,passeatas,denúncias de
roubalheiras,pneus queimados, ruas interditadas e o escambau.

Principalmente, o escambau .kkkkkk

A Lei Clodoaldo Praxedes, jamais vingará, até porque, nem precisa pois, a mulherada já anda baixando o cassete nos homens e mesmo que, elas não saibam porque estão batendo, eles certamente, saberão porque estão apanhando. kk

Um abração carioca.

Mary Villano disse...

Oi Paulo, boa tarde.
Estou voltando, estava de férias, fiquei 20 dias na Itália, Binho meu colaborador ficou administrando o blog, obrigada por sua visita. Ainda não entrei nos eixos devido ao fuso horário.
Bjs
Mary

PAULO TAMBURRO. disse...

MARY,

espero que suas férias tenham sido bastante revitalizadoras,afinal além de você merecer o lugar que visitou é a terra dos meus pais.

É lindo , não é?

Um abração carioca.

Claudete disse...

Paulo , meu caro, obrigada pela visita é semapre divertido e confortante ler teus textos, inundam , nos revitalizam , não se trata de sorrir da desgraça alheia e sim de ver o quanto somos patéticos por não levarmos as coisas cotidianas com olhar exemplar, afundarse em mágoas e revolta não vai resolver nada, se não nos achamos capazes de colaborarpelo menos façamos como ocê : denuncie com humor. Obrigada pela visita, também estou devagar.

sandra disse...

Adorei o texto ri com o nome do personagem Clodoaldo Praxedes,mas falando sério agora sabemos que isso acontece também na vida real,tem muitas mulheres valentonas por aí,e as vezes em uma briga,elas partem pra cima deles mesmo,e depois eles vão se defender e ainda são enquadrados na lei Maria da Penha,acho que os direitos tem que ser iguais pra qualquer cidadão.obrigada por me seguir,estou te seguindo aqui e no FALANDO SÉRIO.bjs até mais!

PAULO TAMBURRO. disse...

OI CLAUDETE,

obrigado, mesmo!!!

"Somos patéticos" e que definição supimpa minha amiga,e também acho que o humor denuncia, avalia,leva a a reflexão, dependendo inclusive dos olhos que o lê.

E Os seus olhos, são inteligentes!

Um abração carioca

PAULO TAMBURRO. disse...

SANDRA,

seja muito bem vinda!

E aqui pra nós se a mulher tiver em torno de 1,50, se ela for baixinha, vira um autentico trator passando em cima da gente, jogam coisas,dão chutes em tudo que é lugar (principalmente naquele!),um inferno, um verdadeiro tsunami.

Sandra é difícil, é muito difícil e a Lei Clodoaldo Praxedes, seria a solução .kkkk

Um abração.