E NOS MUROS...TREPADEIRAS!

                                      

Naquela mansão, duas irmãs conversavam sobre a reforma da casa onde moravam.
Marilaine e Rosália eram dessas meninas com carro do ano na garagem, poupuda herança garantida, muitos pretendentes, e nasceram para viver a vida, sem limitações.
É verdade que, nem todos dão a mesma sorte!

Ambas, gozavam literalmente os momentos sem nenhuma preocupação com o amanhã.
E para variar conversavam sobre futilidades:
-Rosália, eu estava lendo numa revista de decoração que a última moda é, na frente das casas, como a nossa, colocar-se trepadeiras pois, elas dão o ano todo.
yearend.gif (26237 bytes)

-Mais uma Marilaine?
-Como assim, Rosália. Não entendi esta sua “mais uma”- retruca Marilaine
-Estamos falando de trepadeiras, não é? Então, mais uma aqui pra casa- respondeu provocativa a tal da Rosália
-E qual é a outra Rosália?- Pergunta Marilaine cheia de dúvidas e sem dúvida nenhuma.
-Você, Marilaine é lógico! Poxa mulher, você não pode ver um homem. Até com o meu último namorado você transou e dentro do meu carro. Meu carro entendeu? Ele mesmo me falou que foi dentro do carro, na nossa garagem e de manhã quando fui para o trabalho, ainda senti aqueles malditos odores e que tanto me excitaram – desabafou Rosália, sem deixar escapar,no entanto, risos inevitáveis.

-Não era mais seu namorado. Era só mais um homem disponível. Um homem, não, um falo disponível, ta?
-Falo?o que é isso?- pergunta Marilaine incrédula e confusa.
-Procura no dicionário sua anta!E quer saber? Eu cansei de ser cantada por ele, muito xaveco no meu ouvido e isso, enquanto ainda era seu namoradinho. Você não dava conta do recado? Eu dei,sim,dei yes em todos os idiomas, mas e foi quando vocês terminaram. Então eu dei, mesmoooo!

-Eu sei que deu.Aliás se existe alguma trepadeira entre nós duas é você Marilaine. Nossa, pisa no freio. Aliás só pensei em botar uma trepadeira na frente da nossa casa para você ter companhia.
-Tá bom. Mas, não pode ser um “trepadeiro"? Eu ficaria melhor atendida- ridicularizou logo a conversa, a atrevida Marilaine, entre boas gargalhadas.
-Tem uma que é linda, vermelha, intensa, o nome dela é lágrimas de Cristo
-Não Rosália, deixa Cristo fora disso.
- Ah, tem outra muito bonita, também Marilaine é a sete-léguas, de rápido crescimento, dá muitas flores cor de rosa...
-Se cresce rápido ficamos melhor servidas. - E continuam os prolongados frouxos de risos.


-Nossa, Marilaine, mas são sete- léguas. Não acha grande demais?
 - E daí? Que venham as sete, oito, nove...
- Chega depravada, pára com isso.
-Já sei vamos botar então a jasmim - estrela é branquinha e cheirosa.
- É lésbica agora, santinha? - Novamente, muitos risos, gargalhadas e agora, abraços.
Não teve jeito.
Prevaleceu mesmo a mais lógicas das idéias provocativas e, as trepadeiras atualmente, enfeitam os muros daquela cobiçada residência e sempre muitissimo bem cuidado pelos jardineiros da vizinhança.

E todos se apresentaram,solícitos e desinteressadamente! 


Com muito prazer.


Aliás, ,isso é o que todos eles esperam.






12 comentários:

Nádia Santos disse...

Pois é Paulo, e como elas tem muitas por ai... cabeça vazia, algumas com dinheiro, porque a maioria está correndo atrás e dando muito...kkkkkkkkkkkk. Ri de rachar. Bju

Manueli Dias disse...

Rir muito Paulo.
Estava com saudades de seus textos.

Xero baiano.

PAULO TAMBURRO. disse...

OLÁ NÁDIA.

Pois é, e você sabe que correr atrás é uma bobagem, na verdade a gente tem é que, correr na frente.

Concorda?

Um abração carioca minha poetisa maior.

PAULO TAMBURRO. disse...

MANUELI DIAS,

quem sente saudade, atrai saudade e vou correndo para o seu blog.

Um abração carioca em agradecimento a este xero baiano.

Socorro Carvalho disse...

Nossa Paulo!!
adorei o texto e além de tudo me diverti muito. rsrs
Ótimo mesmo.
Um abraço com todos os 37º graus deste momento em Santarém do Tapajós.

E qdo puderes venha sempre em:
www.minhasinspiracoes.blogspot.com.br

beijão, meu caro carioca...rs

PAULO TAMBURRO. disse...

Olá SOCORRO CARVALHO,

obrigado por prestigiar o blog do amigo , ok?

E divertir é o nosso propósito, algumas vezes, eu até consigo(rs).

E quanto o calor em Santarém do Tapajós, carioca viveria feliz da vida nesta terra e jamais, tiraria o calção de banho.

Um abração carioca.

ॐ Shirley ॐ disse...

Paulo, o que mais existe hoje no mundo, são as trepadeiras, são invasivas. Parece que dão nas árvores, no elevador, no ônibus, até em avião ouvi dizer...haha, beijo!

PAULO TAMBURRO. disse...

SHIRLEY,

KKKKKKKKKKKKKK, ,seja muito bem vinda!

É impressionante a sua visão crítica e objetiva, de uma realidade tão exuberante!!!

Bem, eu estou satisfeito com esta explosão herbácea,muitooooo! kkk

Um abração carioca.

Esther Vaz disse...

Paulo, já li mais um pouco, muito bom... Se não se importa vou divulgar o meu que é a minha história, bem diferente do seu, mas se alguém quiser dar uma olhada!
MINHA VIDA, MINHA HISTÓRIA!
mariaesthervaz.blogspot.com.br
Proibido para menores de dezoito anos, pois começo em setembro fazendo um resumo da minha infãncia que foi bem pesada, porém infelizmente real.
Abs

Esther Vaz disse...

ESTOU ADORANDO PAULO!

PAULO TAMBURRO. disse...

ESTHER,

vou ler sim.

Um abração carioca.

Esther Vaz disse...

ADOREI A LUA DE MEL...kkkkkkkkkkk