VOLTAMOS COM O NOSSO CONSULTÓRIO SENTIMENTAL.

                            
                                                                          





                                E-MAIL CURIOSO QUE RECEBEMOS.

 RODRIGO BHERTIOGA, TATUAPÉ, SÃO PAULO.

Meu blogueiro preferido, Paulão Tamburro espero que você possa me ajudar, pois, não consigo uma bandida de uma namorada, nem umazinha, acredita? Com tanta mulher por ai. O que é isso? Outro dia estava sentado no banco da praça mexendo no meu iPad, sentou uma gatinha linda e pensei: Tomara que seja esta!
Continuei a pesquisar no meu iPad, ela saiu e eu, nem vi. Depois chegou outra e me perguntou a marca do iPad e disse e, continuei a ver as coisas que gosto de pesquisar nele. Mas, quando olhei para o lado, não estava mais. É mole?
Saí dali e me deu vontade de ir ao cinema e na fila fiquei procurando no iPad a sinopse do filme que iria ver naquela hora e senti alguém atrás de mim, senti até a sua respiração quente quase no meu ouvido,perfumada e fingi que não percebi, tentando achar no iPad a tal resenha do filme e quando olhei para trás... não estava mais lá. Teria desistido de ver o filme? Que chato!
Depois do cinema fui jantar, e um amigo meu telefonou e começou uma conversa que durou toda a minha refeição e com o celular imprensado entre o ombro e o ouvido, tive que comer assim, pois, o problema dele era muito sério. Fiquei até com dor de cabeça de tanta conversa pelo celular. Durante todo o tempo observei duas mulheres olhando pra mim e cochichando entre elas, rindo e uma até deu uma piscada de olho, dando mole mesmo. Mas não podia deixar de ser solidário, concorda? Uns cinqüenta minutos depois, o cara quando acabou o drama dele não tinha mais ninguém. Elas tinham ido embora.
Foram muito apressadinhas, custava esperar um pouquinho, não é Paulão?
Saí dali e fui ver umas vitrines, e sempre conferindo num site de compras no meu iPad os preços daquela loja que estava e comparando com os preços de outras lojas que, eu pudesse comprar, também, afinal não gosto de ser roubado. Vi que uma gostosa elegante , bocão, coxão, como eu gosto, morena com um corpão, parou do meu lado. Estranhei porque era uma loja de roupas masculinas, mas tudo bem. Ela me olhava muito e teve uma hora que, até encostou o braço no meu e ainda se desculpou por estar me atrapalhando nas minhas procuras de preços de roupas masculinas mais baratas, no meu iPad. Fingi que nem liguei.Era bonitona mesmo, Paulão, mas aí encontrei no iPad um preço menor em uma outra loja do que daquela que estava vendo a tal roupa e fui pra lá.A mulher sumiu,assim do nada.Não é muita falta de sorte?
Pequei um ônibus e outra garota ficou olhando insistentemente pra mim, parecia uma mulher muito maneira, cara de trabalhadora, bem vestidinha, muito cheirosinha e como estava pesquisando no iPad os preços das tais roupas,nem pude dar atenção àquela delicinha. Ela soltou e fiquei na mão. Está vendo a maré que eu ando? Será que existe uma palavra sua que possa resumir todo esta minha falta de sorte, Paulão?

RESPOSTA.

Rodrigo existe sim,pois, quem usa o iPad para surtar na solidão tecnológica, deve ser resumido numa palavra: iDiota.

19 comentários:

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Paulo!
Este texto faz humor com uma realidade bem actual. Cada vez mais as vejo as famílias sentadas em redor da mesa ou no sofá...cada um com o seu Ipad,telemóvel,PC e não se olham nem se falam. Causa-me grande tristeza!
Um abraço amigo.

PAULO TAMBURRO. disse...

MARIA EMILIA,

pois é,esquecem de tudo,inclusive de que são humanos.

Um abração carioca.

disse...

Oi, Paulo.
Foi mesmo um texto bem-humorado e muito real: quanta gente não fica até comendo e mexendo no celular, iPad e afins. Desconectar é uma dica para conseguir muitas coisas, não só namorada!
Abraços!

www.diarioquaseescritora.blogspot.com

PAULO TAMBURRO. disse...

LÊ,

esta "febre" esconde na realidade uma solidão cada vez maior das pessoas na sociedade e, agora, sem querer fazer humor , estamos nos tornando verdadeiras ilhas sociais.

Um abração carioca.

Amanda Bistafa disse...

Olá Paulo!
Ótimo texto, infelizmente é justamente essa a realidade que vivemos atualmente. O mundo real acaba sendo esquecido pelo mundo virtual, que ao invés de unir, está mesmo é afastando as pessoas cada vez mais dos convívios sociais. Uma pena que algo que veio para melhorar acabe afastando as pessoas das coisas que realmente importam.
Bjs!
http://marcasindeleveis.blogspot.com.br/

PAULO TAMBURRO. disse...

AMANDA,

e para um homem se realizar plenamente, nada deveria importar mais do que, o amor,a presença e a
cumplicidade de uma mulher.

iPad? Tô fora! (rs)

Um abração carioca.

Reflexo d'Alma Fase 2014 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Reflexo d'Alma Fase 2014 disse...

PAULO!
Lindo domingo!..
mas
ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
que
pena estar acontecendo essa
Proliferação maldita!
Sabe, não era pra ser assim, a tecnologia é algo útil e bom.
Mas quando indo para o trabalho
vejo vários seres dirigindo seus carrões usando uma mão enquanto a outra
segura o tal Ip(ai) num ei o que.
Muitas vezes o carro tem daquelas tecnologias do aparelho conectado ao carro
e os seres ficam falando sozinhos, rindo ...parecendo zumbis...
Sabe Paulo, lembra outro dia sugeri pra voce entrar numa rede social, lembra? Pois peço desculpas, volto atras . Fazem 10 dias que sai de quase todas as redes sociais,mantenho meus blogs, email, skayp para trabalho e twiter para me manter o informada.
Tenho experimentado uma sentimento
de liberdade plena, isso é bom!
Mas seu personagem dessa postagem é um total sem noção.Ahhhhh, pronto , falei.
Bjins e meus sonhos e delírios
CatiahoAlc./ReflexodAlma

Reflexo d'Alma Fase 2014 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PAULO TAMBURRO. disse...

REFLEXO d'ALMA

CatiahoAlc, então anote outro "truque" que entra na listagem da solidão planejada, sabe qual é?

A algumas pessoas,ao identificarem na rua alguém conhecido ou não, FINGEM, estar falando no celular,seja, para não cumprimentar, seja, para tornar inviável aquele antigo e usual:

-Olá tudo bem?

Acredite!(rs)

UM ABRAÇÃO CARIOCA.




sub helena disse...

Paulo, excelente texto. Tratando com humor uma assunto realmente sério. Estamos tão acostumados aos recursos tecnológicos que muitas vezes deixamos passar coisas importantes. Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

sub helena

e bota importante nisso, concorda?

Um abração carioca.

Nadja Moreno disse...

Olá Paulo!!

Vim até seu blogue para retribuir a visita ao meu e gostei demais, de fato este texto retrata o que temos visto no dia a dia. Não falamos mais, somente nos interessamos pela tecnologia. É engraçado, e triste ao mesmo tempo!

Parabéns pelo blogue, estarei sempre aqui!

Abraços.

escrev-arte.blogspot.com.br

PAULO TAMBURRO. disse...

NADJA MORENO,

seja muito bem vinda!

É uma coisa de louco,sabe.

Outro dia vi um casal entrar em um restaurante e sentaram-se em frente a minha mesa.

Fiquei ali, almocei durante quase cinquenta minutos e acredite se quiser, o homem que com certeza era companheiro dela, em nenhum momento, tirou o celular do ouvido.

É muito triste e principalmente para mim que adoro rir.

Um abração carioca.

Pérola disse...

Deixe a tecnologia de lado e use do tradicional toque, olhar e dê atenção, tempo...

O mundo de hoje perde-se nas tecnologias e depois ainda se queixam.

Beijinhos

PAULO TAMBURRO. disse...

PÉROLA,

é isso aí: "...depois ainda se queixam".

Que pena!

Um abração carioca.

Cristal_Azul disse...

!Hola,Paulo!

Me he reído mucho con los textos e imágenes de tu blog.Son buenísimos.

Muchas gracias por tu visita y amabilidad en mi humilde espacio.Muchos besos y buen fin de semana.

PAULO TAMBURRO. disse...

CRISTAL_AZUL

seja bem vinda e gostei muito do seu blog.

Volte sempre!

Você também é muito amável e seu espaço é muito bom!!!

Um abração carioca.

Monique disse...

Oi Paulo, finalmente, consegui chegar por aqui e gostei muito texto, da sua sucinta análise sobre a questão. É isso aí!
Essa prisão ao mundo tecnológico está mudando a forma de relacionamento entre as pessoas. Coisa estranha, não? Eu ainda resisto a levar a tecnologia na bolsa, quando vou à rua, uma vez que praticamente o meu dia todo, todos os dias, é ficar à frente de um monitor. Logo, nos raros momentos que tenho para conferir o mundo real, procuro aproveitá-lo às antigas.
Um abração da serra e obrigada pela visita ao Blog da Monique.